SuperSmartSuper-nutrition Nutranews
X
× Comprar por problema de saude Comprar por ingrediente As melhores vendas Novidades Promoção A minha conta Smart Prescription Blog Programa de fidelização Idioma: Português
Início Comprar por problema de saude Cuidado das articulações, dos ossos e dos músculos Muscle Relaxing Formula + CBD Oil 6%
Muscle Relaxing Formula + CBD Oil 6%
Cuidado das articulações, dos ossos e dos músculos Opiniões de clientes
63.50 €(71.29 US$) em stock
Descrição

Óleo de cânhamo normalizado a 6,4% de canabidiol (CBD)

  • 5 mg de CBD par cápsula de gelatina mole
  • Complemento alimentar de largo espectro: contém igualmente todos os fitocanabinóides não psicotrópicos encontrados na Cannabis sativa (canabinol, canabigerol, tetrahidrocanabivarina…)
  • Não contém substâncias psicotrópicas (THC)
  • Destinado a aliviar as dores crónicas, a inflamação e a agitação interior (benefícios múltiplos)
O remédio natural universal para aliviar eficazmente as dores musculares
  • Contribui para reduzir as dores musculares ocasionais ou persistentes.
  • Quatro extratos vegetais na sua melhor forma (valeriana, melissa, passiflora e camomila).
  • Normalizado em princípios activos naturais.
  • Contém magnésio e vitamina E.
  • Produtos naturais provenientes de agricultura biológica.
-
+
juntar ao cesto
Lista de desejos
Muscle Relaxing Formula + CBD Oil 6%
Muscle Relaxing Formula + CBD Oil 6%Muscle Relaxing Formula + CBD Oil 6%Muscle Relaxing Formula + CBD Oil 6%

O que é o CBD?

O canabidiol (CBD) é uma molécula fitocanabinóide existente no cânhamo (Cannabis sativa) tal como a substância psicotrópica bem conhecida, o tetrahidrocanabinol (THC). Contrariamente a este último, o CBD não apresenta qualquer propriedade estupefaciente.

O THC foi o primeiro constituinte psicoativo descoberto na marijuana (1-3), mas foi preciso chegar aos anos 90 do século XX para identificar o sistema de sinalização endógeno que designamos agora por sistema endocanabinóide. Trata-se de um sistema de sinalização no qual intervêm mensageiros produzidos pelo organismo (endocanabinóides) e recetores específicos localizados nas membranas exteriores das células (os recetores CB1 e CB2).

O princípio é simples: o organismo produz mensageiros endocanabinóides quando pensa ter necessidade deles, depois estes mensageiros ligam-se aos receptores que lhes correspondem, o que desencadeia respostas celulares variadas, como a estimulação do apetite, a limitação sináptica, a anti-nocicepção (alivio da dor), a hipotermia ou a redução da locomoção espontânea (4).

Sabe-se, por exemplo, que os endocanabinóides são eficazes para inibir a transmissão das fibras nociceptivas de pequeno diâmetro (envolvidas no fenómeno da dor) e para diminuir a libertação de neurotransmissores tais como a substância P, responsável pela transmissão da dor. O que não é tão simples, pelo contrário, é que este sistema influencia vários mecanismos complexos como a neuroplasticidade, a apoptose, a neuroinflamação ou a memória traumática

Acontece que as plantas produzem moléculas muito semelhantes a estas moléculas endocanabinóides, ao ponto de conseguirem fixar-se (com uma afinidade mais ou menos forte) nos mesmos recetores. Algumas delas produzem respostas celulares muito próximas das dos endocanabinóides, ou respostas amplificadas, como é o caso da THC.

A cannabis contém mais de 200 tipos destas moléculas, que imitam os endocanabinóides, como o canabidiol (CBD) que pode contar até 40% de extracto seco.

Como funciona o CBD? Quais são os benefícios do CBD?

Os recetores CB1 e CB2 aos quais se ligam os endocanabinóides e os fitocanabinóides não estão localizados ao acaso no organismo. Encontramo-los mais especificamente à superfície das células do cérebro humano, do sistema nervoso central e nos tecidos do sistema imunitário. O hipocampo (em particular a região dentada) bem como o Globus pallidus, que regula os movimentos (5), tem uma densidade de recetores CB1 muito elevada. Os recetores CB2, por outro lado, têm maior expressão nos tecidos imunitários (6). Estas localizações sugerem um envolvimento dos canabinóides na modulação da memória, das emoções, da dor (crónica, inflamatória ou neuropática) (7-8) e dos movimentos (9-10).

O CBD liga-se preferencialmente aos recetores CB2, ao passo que o THC se liga aos recetores CB1 com uma grande afinidade. Quando o CBD se liga a estes recetores, produz-se uma reação em cadeia que leva a uma redução da libertação dos neurotransmissores.

A ligação do CBD aos recetores CB2 parece aliás reduzir a resposta inflamatória. O fenómeno implica múltiplos alvos celulares, conduzindo a uma subida da BDNF (uma proteína que incentiva o crescimento e a diferenciação de novos neurónios), a uma redução das células da micróglia e a uma baixa dos mediadores pró-inflamatórios (11-13). É este efeito anti-inflamatório que torna o CBD tão interessante para o alívio da dor.

O CBD contribui portanto para diminuir a produção de citocinas inflamatórias, para preservar a circulação cerebral durante eventos isquémicos e para reduzir a neuro-inflamação (14). Contribui também para aumentar os níveis de adenosina no cérebro, que está associada à neuroproteção e a uma diminuição da inflamação (15). Contribui ainda para ativar as PPAR (16), proteínas que atuam como fator de transcrição de determinados genes envolvidos na inflamação e na transmissão da dor.

Vários estudos mostraram outros benefícios: propicia por outro lado a vasodilatação (17-18) e ajuda a reduzir as espécies reativas de oxigénio (ROS) bem como a peroxidação lipídica (19-21). O CBD está envolvido também na modulação dos recetores que não pertencem ao sistema endocanabinóide. Os recetores da serotonina, por exemplo, parecem desempenhar um papel nos benefícios e propriedades terapêuticas do CBD.

O CBD pode diminuir a intensidade e o impacto dos sintomas associados à ansiedade crónica ou ao stress crónico (22-23). A ressonância magnética permitiu mostrar que o CBD afetava as zonas do cérebro envolvidas na neurobiologia de várias perturbações psiquiátricas. Um estudo mostrou que uma simples dose de CBD, administrada por via oral a voluntários saudáveis, modificava a atividade de repouso nas zonas límbicas e paralímbicas (24-25).

Outros trabalhos de investigação evidenciaram também uma atenuação potencial da memória associada a experiências traumáticas.

O CBD usufrui atualmente de uma vantagem que não se desmente com o passar do tempo. Se a parte imputável aos meios de comunicação não é negligenciável neste sucesso, ele parece estar mais ligado às propriedades e virtudes do CBD, bem documentada hoje em dia. Resumindo, eis as propriedades evidenciadas nos estudos in vitro, animais ou clínicos humanos (26):

  • benefícios na dor;
  • a ação nos recetores cerebrais, em particular na serotonina – um neurotransmissor que regula o humor, mas também o comportamento social;
  • potencial anti-inflamatório nas citocinas;
  • benefícios neuroprotetores;
  • propriedades ansiolíticas e virtudes anti stress;
  • benefícios anti-aditivos;
  • ação em determinadas respostas ao stress.

Como é produzido o CBD Oil 6%?

Após a extração, o CBD é diluído no óleo extraído das sementes de cânhamo.

Em situação normal, o óleo de sementes de cânhamo contém muito pouco CBD (0,0025%). O CBD está sobretudo presente nas flores de Cannabis sativa e, em menor grau, nas folhas e não nas sementes. CBD Oil 6% contém portanto um óleo de sementes de cânhamo ao qual foi adicionada uma quantidade de CBD extraído das flores de cânhamo.

Quando a cannabis cresce, produz THC-A e CBD-A, e não CBD nem THC. É quando se aquecem as duas moléculas que elas são descarboxiladas nas respetivas formas ativas (27). A transformação do CBD-A em CBD pode também fazer-se de forma mais lenta por exposição da molécula à luz, ao calor (os fluidos gástricos estão a uma temperatura de 37°C) ou com o tempo (28). CBD Oil 6% contém CBD e não CBD-A, além de outros fitocanabinóides existentes em quantidades mais modestas. É impossível encontrar atualmente melhor produto que este no mercado.


Existem efeitos secundários?

O cânhamo utilizado neste caso não contém THC. Não apresenta portanto qualquer efeito estupefaciente no consumidor e dispõe de um excelente perfil de segurança no ser humano.

Uma vez ingerido, o CBD é rapidamente distribuído pelo organismo. A sua natureza lipófila permite-lhe passar rapidamente a barreira hemato-encefálica e chegar aos tecidos cerebrais. Não altera o ritmo cardíaco nem influencia a tensão arterial nem a temperatura corporal. A semi-vida do CBD é de cerca de 9 horas; depois é excretado na urina numa forma metabolizada.

A forma de cápsula de gelatina mole e a pureza dos ingredientes garantidos pela Supersmart permitem uma utilização sem contra-indicações particulares. Atualmente, comprar um óleo de cânhamo normalizado em CBD e sem THC não apresenta o menor problema de saúde pública.

Que medidas podem ser associadas a CBD Oil 6%?

CBD Oil 6% pode ser associado a InflaRelief Formula, uma fórmula otimizada contra os problemas da inflamação, a Natural Pain Relief, um analgésico natural universal, e a Posinol 50 mg, um extrato de Apocynum venetum que contribui para o relaxamento mental.

Notas

Este produto não deve substituir uma alimentação diversificada e equilibrada nem um modo de vida saudável. Respeitar os conselhos de utilização, a dose diária aconselhada e a data limite de utilização. Desaconselhado para grávidas ou mulheres a amamentar e para crianças com menos de 15 anos. Manter fora do alcance das crianças. Conservar em local seco e fresco.

Referências

  1. Gaoni Y, Mechoulam R. Isolation structure and partial synthesis of an active constituent of hashish. J Am Chem Soc. 1964;86:1646–7.
  2. Mechoulam R, Braun P, Gaoni YA. Stereospecific synthesis of (-)-delta 1- and (-)-delta 1(6)-tetrahydrocannabinols. J Am Chem Soc. 1967;89:4552–4.
  3. Mechoulam R, Shvo Y, Hashish I. The structure of cannabidiol. Tetrahedron. 1963;19:2073–8.
  4. Venance L, Maldonado R, Manzoni O. Le système endocannabinoïde central. Med Sci (Paris) 2004 ; 20 : 45-53.
  5. Pertwee RG. The diverse CB1 and CB2 receptor pharmacology of three plant cannabinoids: Δ9-tetrahydrocannabinol, cannabidiol and Δ9-tetrahydrocannabivarin. Br J Pharmacol. 2008;153:199–215.
  6. Pettit DAD, Harrison MP, Olson JM, Spencer RF, Cabral GA. Immunohistochemical localization of the neural cannabinoid receptor in rat brain. J. Neurosci Res. 1998;51:391–402
  7. Hill KP. Medical marijuana for treatment of chronic pain and other medical and psychiatric problems: A clinical review. JAMA. 2015;313:2474–83
  8. Rog DJ, Nurmikko TJ, Friede T, Young CA. Randomized, controlled trial of cannabis-based medicine in central pain in multiple sclerosis. Neurology. 2005;65:812–9
  9. Portella G, Laezza C, Laccetti P, De Petrocellis L, Di Marzo V, Bifulco M. Inhibitory effects of cannabinoid CB1 receptor stimulation on tumor growth and metastatic spreading: Actions on signals involved in angiogenesis and metastasis. FASEB J. 2003;17:1771–3
  10. Freund TF, Katona I, Piomelli D. Role of endogenous cannabinoids in synaptic signaling. Physiol Rev. 2003;83:1017–66.
  11. Nestler EJ, Barrot M, DiLeone RJ, Eisch AJ, Gold SJ, Monteggia LM. Neurobiology of depression. Neuron. 2002;34:13–25
  12. Wang Q, Shao F, Wang W. Maternal separation produces alterations of forebrain brain-derived neurotrophic factor expression in differently aged rats. Front Mol Neurosci. 2015;8:49
  13. Wee N, Kandiah N, Acharyya S, Chander RJ, Ng A, Au WL, et al. Depression and anxiety are co-morbid but dissociable in mild Parkinson's disease: A prospective longitudinal study of patterns and predictors. Parkinsonism Relat Disord. 2016;23:50–6
  14. Camposa AC, Fogac MV, Sonegoa AB, Guimarãesa FS. Cannabidiol, neuroprotection and neuropsychiatric disorders. Pharmacol Res. 2016;112:119–27
  15. Castillo A, Tolóna MR, Fernández-Ruizb, J, Romeroa J, Martinez-Orgadoa J. The neuroprotective effect of cannabidiol in an in vitro model of newborn hypoxic–ischemic brain damage in mice is mediated by CB2 and adenosine receptors. Neurobiol Dis. 2010;37:434–40.
  16. Esposito G, Scuderi C, Valenza M, Togna GI, Latina V, et al. Cannabidiol reduces ab-induced neuroinflammation and promotes hippocampal neurogenesis through PPARc involvement. PLoS One. 2011;6:e28668.
  17. Hillard CJ. Endocannabinoids and vascular function. J Pharmacol Exp Ther. 2000;294:27–32.
  18. Schultes RE. Hallucinogens of Plant Origin.Science. 1969;163:245–54.
  19. Esposito G, Scuderi C, Savani C, Steardo L, Jr, De Filippis D, Cottone P, et al. Cannabidiol in vivoblunts beta-amyloid induced neuroinflammation by suppressing IL-1ß and iNOS expression. Br J Pharmacol. 2007;151:1272–9.
  20. Hampson AJ, Grimaldi M, Axelrod J, Wink D. Cannabidiol and (-)Δ9-tetrahydrocannabinol are neuroprotective antioxidants. Proc Natl Acad Sci USA. 1998;95:8268–73.
  21. Iuvone T, Esposito G, Esposito R, Santamaria R, Di Rosa M, Izzo AA. Neuroprotective effect of cannabidiol, a non-psychoactive componentpCannabis sativa, on ß-amyloid-induced toxicity in PC12 cells. J Neurochem. 2004;89:134–41.
  22. Campos AC, Moreira FA, Gomes FV, Del Bel EA, Guimarães FS. Multiple mechanisms involved in the large-spectrum therapeutic potential of cannabidiol in psychiatric disorders. Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci. 2012;367:3364–78.
  23. Bergamaschi MM, Queiroz RHC, Chagas MHN, de Oliveira DCG, De Martinis BS, Kapczinski F, et al. Cannabidiol reduces the anxiety induced by simulated public speaking in treatment-naive social phobia patients. Neuropsychopharmacology. 2011;36:1219–26.
  24. Crippa JA, Zuardi AW, Garrido GE, Wichert-Ana L, Guarnieri R, Ferrari L, et al. Effects of cannabidiol (CBD) on regional cerebral blood flow. Neuropsychopharmacology. 2004;29:417–26
  25. Fusar-Poli P, Crippa JA, Bhattacharyya S, Borgwardt SJ, Allen P, Martin-Santos R, et al. Distinct effects of Δ9-tetrahydrocannabinol and cannabidiol on neural activation during emotional processing. Arch Gen Psychiatry. 2009;66:95–105.
  26. Pisanti, S., et al., Cannabidiol: State of the art and new challenges for therapeutic applications. Pharmacol Ther, 2017. 175: p. 133-150
  27. Gowran A, Noonan J, Campbell VA. The multiplicity of action of cannabinoids: Implications for treating neurodegeneration. CNS Neurosci Ther. 2011;17:637–44.
  28. Russo, E.B., Cannabidiol Claims and Misconceptions.Trends in pharmacological sciences, 2017. 38(3): p. 198-201.
Dose diária: 2 cápsulas de gelatina mole
Número de doses por caixa: 15

Quantidade
por dose

Canabidiol (CBD) de 156,25 mg de óleo de cânhamo não psicotrópico normalizado a 6,4% de CBD 10 mg
DDR não definida. Outros ingredientes: azeite proveniente de agricultura biológica.
Adultos. Tomar 2 cápsulas de gelatina mole por dia. Cada cápsula de gelatina mole contém 78,125 mg de óleo de cânhamo normalizada a 6,4% de canabidiol (CBD), ou seja 5 mg de CBD.
Este suplemento não contém qualquer substância psicotrópica.

Muscle Relaxing Formula é uma combinação de extratos vegetais e de micronutrientes destinada a aliviar as dores e incómodos musculares de forma imediata e duradoura. Trata-se de uma fórmula 100% natural cujos extratos de plantas são reconhecidos como sendo eficazes contra as dores e são provenientes de agricultura biológica.

A quem se destina Muscle Relaxing Formula?

Esta fórmula inovadora destina-se a todos os afetados por uma das situações seguintes:

  • dores musculares frequentes;
  • dores musculares que surgiram na sequência de um exercício muscular intenso;
  • contrações musculares involuntárias mais ou menos dolorosas;
  • cãibras;
  • rigidez muscular noturna ligada à idade;
  • dores musculares ligadas a carências (vitamina D, aminoácidos essenciais, testosterona);
  • sofrimento fibromiálgico;
  • contraturas musculares;
  • dores provocadas por trauma;
  • dores neuropáticas de origem desconhecida;
  • outros problemas musculares: varizes, insuficiência venosa, dores musculares, estiramento, rutura, distenção…

De que é composto Muscle Relaxing Formula?

De que é composto Muscle Relaxing Formula?

  • Os 4 extratos vegetais naturais de Muscle Relaxing Formula: valeriana, melissa, passiflora e camomila.

  • Muscle Relaxing Formula agrupa os quatro extratos vegetais mais estudados para combater as dores musculares e na sua melhor forma.

    As folhas de melissa (erva-cidreira).

    A erva-cidreira (Melissa Officinalis) é uma planta utilizada tradicionalmente há mais de dois mil anos para acalmar os estados nervosos e aliviar as dores. Ensaios recentes realizados em sujeitos humanos permitiram atestar os efeitos ansiolíticos do extrato de melissa (1-3) e também a sua capacidade de reduzir a sensibilidade à dor por meio de uma modulação de determinados recetores do sistema nervoso central (4-6). Alguns trabalhos evidenciaram as suas propriedades analgésicas (7-8) ligadas a uma diminuição da resposta sensitiva aos estímulos exteriores (a nocicepção).

    Estas propriedades estão ligadas à presença de terpenos no seu óleo essencial, mas também à sua riqueza em compostos fenólicos (ácido rosmarínico, ácido cafeico), em citral, em flavonóides (luteolina) e em taninos (9).

    Atenção: inúmeros comerciantes desonestos substituem o extrato de melissa, bastante caro, por espécies semelhantes que exalam um forte odor a limão como a citronela ou a erva-príncipe.

    As partes aéreas de passiflora.

    A passiflora contém várias substâncias suscetíveis de atuar contra as dores: alcalóides indoles, flavonóides, terpenos e glicósidos (10), apesar de terem sido identificados mais de 294 compostos voláteis.

    A maioria dos estudos farmacológicos sobre a passiflora evidenciaram efeitos no sistema nervoso central, nomeadamente propriedades ansiolíticas e sedativas (11). A Comissão E (um conselho consultivo científico europeu) e a ESCOP (European Scientific Cooperative On Phytotherapy) reconhecem aliás oficialmente a utilização da passiflora para atenuar o nervosismo, aliviar os espasmos musculares e as dores nevrálgicas.

    As flores de camomila alemã.

    Reputada pelas suas propriedades relaxantes, a camomila conta com vários ingredientes anti-inflamatórios e analgésicos como o camazuleno, a apigenina, os flavonóides e o alfa bisabolol. A sua administração a indivíduos que padecem de dores diversas deu resultados mais do que satisfatórios (12).

    Atenção: não se deve confundir a camomila alemã (Matricaria recutita), cujas flores são as partes mais interessantes, com a camomila (Tanacetum parthenium), da qual se utilizam as folhas para reduzir a intensidade das dores de cabeça e das enxaquecas.

    A raiz de valeriana.

    Já utilizadas pelos Ameríndios para curar as feridas musculares, as raízes de valeriana continuam a ter interesse atualmente. Contêm mais de 150 compostos químicos, entre os quais se conta o ácido valerínico e os valtratos. Estes explicam a ação da valeriana em determinados mensageiros químicos do cérebro e os seus efeitos relaxantes (13).

    A fórmula contém igualmente dois micronutrientes reconhecidos pelos seus efeitos fisiológicos benéficos para a saúde humana:

    A vitamina E (na sua forma natural).

    Bem conhecida pelas suas capacidades antioxidantes excecionais, a vitamina E apresenta igualmente propriedades anti-inflamatórias e vasodilatadoras interessantes.

    Atenção: no organismo, a forma mais presente é o alfa-tocoferol. Como a forma sintética desta molécula é muito menos absorvida, é importante escolher complementos alimentares como Muscle Relaxing Formula, que contém a forma natural (14).

    O magnésio (na forma mais solúvel e mais assimilável).

    O magnésio está envolvido na transmissão nervosa e contribui para o relaxamento muscular após a contração. Apresenta por isso uma ação relaxante nos músculos, mas desempenha também um papel no alívio das dores; ao perturbar os recetores NMDA, atrasa a entrada de iões cálcicos na célula, o que provoca um efeito antinocicetivo.

    Este efeito antinocicetivo está ligado a uma diminuição da sensibilidade aos estímulos da dor que emanam das lesões ou da agressão dos tecidos. O magnésio apresenta portanto um grande interesse para aliviar a hipersensibilidade à dor e as dores fantasma (15-16).

    Atenção: quanto menos o magnésio de um sal é assimilável, menos ele será benéfico para o organismo e mais intenso será o seu efeito laxante. É portanto crucial selecioná-lo nas suas melhores formas: o citrato de magnésio e o cloreto de magnésio. É importante, por outro lado, controlar os seus aportes de magnésio se já o consome na forma de complementos alimentares.

    Cinco boas razões para escolher Muscle Relaxing Formula para combater as dores musculares

    1. Os seis ingredientes naturais de Muscle Relaxing Formula foram todos estudados pela comunidade científica pelos seus efeitos anti-inflamatórios, analgésicos e anti-nocicetivos.
    2. Os extratos vegetais incluídos em Muscle Relaxing Formula são todos provenientes de agricultura biológica. É importante pois os pesticidas são frequentemente neurotóxicos que podem provocar disfunções neurológicas, exacerbar as dores e propiciar a inflamação.
    3. Os medicamentos antálgicos nunca fizeram tantas vítimas como em 2017: nos Estados Unidos, mais de 50 000 pessoas morreram na sequência dos efeitos secundários de medicamentos contra a dor receitados pelos seus médicos. É urgente voltar aos métodos naturais.
    4. Na Europa e nos Estados Unidos, mais de uma pessoa em cada duas sofre atualmente de dores articulares ou musculares. Estas dores têm repercussões graves no sono dessas pessoas, no seu nível de atividade física e no seu estado de espírito.
    5. Muscle Relaxing Formula não contém qualquer excipiente químico.

    As medidas a associar à toma de Muscle Relaxing Formula para uma eficácia ainda maior

    Para maximizar a eficácia da fórmula, pode aplicar o plano de ação seguinte durante todo o período de toma do suplemento:

    1) Pense em hidratar-se bem, bebendo pelo menos dois litros de água por dia, em pequenas doses de cada vez. A hidratação propicia a circulação sanguínea nas fibras musculares.

    2) Reserve períodos de relaxamento diários para si (meditação, visualização, escuta de música passiva, reflexão sem estímulos, etc.) e cuide do seu sono: a sobrecarga e a falta de sono exacerbam as dores.

    3) Evite todos os alimentos que propiciam a inflamação sistémica como a carne vermelha, os laticínios, a charcutaria, os produtos industrializados, mas também os alimentos que contêm cereais refinados.

    4) Dê preferência a determinados alimentos anti-inflamatórios, nomeadamente os que são ricos em ácidos gordos ómega 3 (lípidos capazes de reduzir as dores) bem como os frutos e legumes frescos, todos muito ricos em antioxidantes. Pode associar Muscle Relaxing Formula a uma toma diária de Super DHA, uma fórmula rica em ómega 3 que permite conseguir aportes muito superiores aos permitidos pela alimentação diária.

    Nota: este produto não deve substituir uma alimentação diversificada e equilibrada nem um modo de vida saudável. Respeitar os conselhos de utilização, a dose diária aconselhada e a data limite de utilização. Desaconselhado a grávidas ou mulheres a amamentar e a pessoas com problemas hepáticos. Este produto pode interferir com anticoagulantes ou medicamentos para a tensão arterial. Se tomar outros medicamentos ou se tiver problemas de saúde, consulte um profissional de saúde antes de começar a tomar. Não tomar este produto antes de conduzir ou operar máquinas. Manter fora do alcance das crianças. Conservar em local seco e fresco.

    Redação: dezembro de 2018.

    Referências

    1. Kennedy DO, Little W, Scholey AB. Attenuation of laboratory-induced stress in humans after acute administration of Melissa officinalis (Lemon Balm). Psychosom Med. 2004 Jul-Aug;66(4):607-13. Texte intégral : www.psychosomaticmedicine.org
    2. Kennedy DO, Scholey AB, et al. Modulation of mood and cognitive performance following acute administration of Melissa officinalis (lemon balm). Pharmacol Biochem Behav. 2002 Jul;72(4):953-64.
    3. Santos-Neto LL, Toledo MAV, Medeiros-Souza P, Souza GA. The use of Herbal medicine in Alzheimer's disease — a sistematic review. Adv Acc Public 2006;23:441–5.
    4. Kennedy DO, Wake G, et al. Modulation of mood and cognitive performance following acute administration of single doses of Melissa officinalis (Lemon balm) with human CNS nicotinic and muscarinic receptor-binding properties. Neuropsychopharmacology. 2003 Oct;28(10):1871-81.
    5. Neuroprotective and neurological properties of Melissa officinalis. López V, Martín S, et al. Neurochem Res. 2009 Nov;34(11):1955-61.
    6. Pharmacological profile of an essential oil derived from Melissa officinalis with anti-agitation properties: focus on ligand-gated channels. Abuhamdah S, Huang L, et al. J Pharm Pharmacol. 2008 Mar;60(3):377-84.
    7. Capasso R, Savino F, Capasso F. Effects of the herbal formulation ColiMil on upper gastrointestinal transit in mice in vivo. Phytother Res 2007;21:999-1101
    8. Vejdani R, Shalmani HR, Mir-Fattahi M, Sajed-Nia F, Abdollahi M, Zali MR, et al. The efficacy of an herbal medicine, Carmint, on the relief of abdominal pain and bloating in patients with irritable bowel syndrome: a pilot study. Dig Dis Sci 2006;51:1501–7.
    9. Guginski G, Luiz AP et al. Mechanisms involved in the antinociception caused by ethanolic extract obtained from the leaves of Melissa officinalis (lemon balm) in mice. Parmacology, Biochemistry and Behavior 93 (2009) 10-16.
    10. Dhawan K, Dhawan S, Sharma A. Passiflora: a review update. J Ethnopharmacol. 2004 Sep;94(1):1-23. Review.
    11. Sasikala V, Saravanan S, Parimelazhagan T. Analgesic and anti-inflammatory activities of Passiflora foetida L. Asian Pacific Journal of Tropical Medicine (2011)600-603.
    12. Sharifi F, Simbar M, Mojab F, Majd HA. Comparison of the effects of Matricaria chamomila (Chamomile) extract and mefenamic acid on the intensity of premenstrual syndrome. Complement Ther Clin Pract. 2014 Feb;20(1):81-8. doi: 10.1016/j.ctcp.2013.09.002. Epub 2013 Oct 9.
    13. Weeks BS. Formulations of dietary supplements and herbal extracts for relaxation and anxiolytic action: Relarian. Med Sci Monit. 2009 Nov;15(11):RA256-62.
    14. Institute of Medicine (IOM). Dietary Reference Intakes for Vitamin C, Vitamin E, Selenium, and Carotenoids (2000) : Vitamin E., États-Unis, 2000.
    15. Latremoliere A, Woolf CJ. Central sensitization: a generator of pain hypersensitivity by central neural plasticity. J Pain. 2009;10:895–926.
    16. Woolf CJ, Salter MW. Neuronal plasticity: increasing the gain in pain. Science. 2000;288:1765–9.
    Dose diária: 6 cápsulas
    Número de doses por embalagem: 30
    Quantidade por dose diária ADR
    Extrato de raiz de valeriana proveniente de agricultura biológica. 600 mg *
    Extrato de folhas de melissa proveniente de agricultura biológica. 350 mg *
    Extrato da parte aérea de passiflora proveniente de agricultura biológica. 350 mg *
    Extrato de folhas de camomila proveniente de agricultura biológica. 350 mg *
    Citrato de magnésio 400 mg 12%
    Citrato de cálcio 100 mg 3%
    Vitamina E natural (d-alfa-tocoferol). 100 IU 558%
    Outros ingredientes: goma de acácia.
    *Aportes diários recomendados não definidos.
    Adultos. Tomar 6 cápsulas por dia.
    Subscreva a nossa newsletter
    e ganhe um desconto permanente de 5%

    Os incontornáveis

    Daily 3®Daily 3®

    Fórmula optimizada segundo as mais recentes investigações científicas. 43 vitaminas e nutrientes antioxidantes.

    49.00 €(55.01 US$)
    +
    Lactobacillus gasseriLactobacillus gasseri

    Uma estirpe probiótica particularmente eficaz na gestão do peso Em DR Caps™ gastro-resistentes para uma eficácia ideal

    21.00 €(23.57 US$)
    +
    Novo
    CBD 25 mgCBD 25 mg

    Um analgésico natural e potente para eliminar as dores de forma duradoura

    63.00 €(70.72 US$)
    +
    Melatonin Spray 1 mgMelatonin Spray 1 mg

    Toda a eficácia da melatonina de libertação prolongada em spray sublingual facilmente doseável

    18.00 €(20.21 US$)
    +
    Berberine 500 mgBerberine 500 mg

    Uma nova arma natural e potente contra a diabetes de tipo II

    32.00 €(35.92 US$)
    +
    Novo
    Senolytic ComplexSenolytic Complex

    Os senolíticos – uma fórmula revolucionária para destruir as células senescentes que estão na origem do envelhecimento

    84.00 €(94.30 US$)
    +
    Vitamin D3 5000 UIVitamin D3 5000 UI

    Para compensar os perigosos défices de vitamina D Vitamina lipossolúvel na forma oleosa = melhor biodisponibilidade

    18.00 €(20.21 US$)
    +
    Super Omega 3 - 500 mgSuper Omega 3 - 500 mg

    EPA e DHA: um produto o mais natural, puro, potente e estável do mercado

    25.00 €(28.07 US$)
    +
    Super Curcuma 500 mgSuper Curcuma 500 mg

    Fitosomas de curcuma - biodisponibilidade elevada Um novo extracto de curcuma patenteado, com uma biodisponibilidade 29 vezes superior!

    45.00 €(50.52 US$)
    +
    Smart PillsSmart Pills

    Uma fórmula de estimulação cerebral excepcional (nootrópica)

    33.00 €(37.05 US$)
    +
    AntiOxidant SynergyAntiOxidant Synergy

    Uma potente defesa antioxidante polivalente.

    43.00 €(48.27 US$)
    +
    Muscle Relaxing Formula + CBD Oil 6%
    -
    +
    63.50 €
    (71.29 US$)
    juntar ao cesto
    x
    secure

    Gratuito

    Obrigado pela sua visita; antes de partir

    INSCREVA-SE NO
    Club SuperSmart
    E beneficie
    de vantagens exclusivas:
    Continuar as minhas compras