INNOVATION AND EXCELLENCE SINCE 1992
Início
  >  
Categorias
  >  
Fitonutrientes
  >  
Olive Leaf Extract 125 mg
Olive Leaf Extract 125 mg
Novo
Olive Leaf Extract 125 mg
Fórmula mediterrânica de tripla ação contra o colesterol e os triglicéridos sanguíneos
  • Produzida naturalmente a partir das folhas de oliveira (Olea Europaea).
  • Teor excecional em oleuropeína (125 mg normalizado a 32%).
  • Efeitos provados clinicamente.
  • Contribui para baixar o colesterol LDL e o nível de triglicéridos.
  • Combate a oxidação lipídica nos vasos sanguíneos.
see review

Quantidade : 60 cáps. veg. 29.00 €
(32.73 US$)
juntar ao cesto

+

Olive Leaf Extract é uma fórmula natural produzida a partir das folhas de oliveira e destinada a controlar a lipidemia. É sustentada por três ensaios clínicos que demonstraram a sua capacidade de baixar o colesterol LDL e o índice de triglicéridos no sangue, fazer subir o índice de colesterol HDL e combater a oxidação lipídica.

Em que consiste Olive Leaf Extract?

Olive Leaf Extract é um complemento alimentar de origem natural produzido a partir de folhas de oliveira. Contém uma elevada quantidade de oleuropeína, um fitonutriente bioativo específico da oliveira, que lhe permite controlar os lípidos sanguíneos e evitar a reabsorção dos glúcidos.

Destina-se a todos os que desejam melhorar a sua saúde cardiovascular e preservar a integridade dos seus vasos sanguíneos. Porque apresentam fatores de risco, algumas pessoas são particularmente suscetíveis de estar interessadas neste produto:

  • as pessoas com excesso de peso;
  • as pessoas com diabetes de tipo 2;
  • as pessoas com propensão para problemas de circulação sanguínea;
  • as pessoas que sofrem de hipertensão;
  • as pessoas stressadas;
  • as pessoas em situação de hipercolesterolemia.

De que é composto o complemento alimentar Olive Leaf Extract?

Os efeitos benéficos da oliveira são atribuídos à sua riqueza excecional em compostos fenólicos, moléculas conhecidas pelas suas fortes propriedades antioxidantes. Na oliveira estes compostos estão envolvidos nos mecanismos de defesa contra a predação por insetos, as infeções, as agressões microbianas múltiplas e os raios UV (1-2), mas apresentam também atividades biológicas quando são ingeridos pelo ser humano. Sabe-se que diminuem o risco de um determinado número de patologias, opondo-se – nomeadamente – aos radicais livres e modificando favoravelmente os equilíbrios enzimáticos.

Na oliveira, a oleuropeína é o composto fenólico mais abundante (3) (cerca de 25% do extrato). É ele o responsável pelo sabor amargo característico do azeite virgem, mas existem muitos outros, que encontramos também em Olive Leaf Extract: apigenina, ácido cafeico, catequinas, ácido cumárico, diosmetina, ácido ferrúlico, ácido gálico, hesperidina, hidroxitirosol, luteolina, oleosida, quercetina, rutina, tirosol, vanilina, verbascosídeo…

Como o interesse terapêutico das folhas de oliveira foi correlacionado com o seu teor em oleuropeína, Olive Leaf Extract foi concebido para conter o máximo possível de oleuropeína.

Quais são os mecanismos de ação de Olive Leaf Extract?

Quais são os mecanismos de ação de Olive Leaf Extract?

As folhas de oliveira são empregadas em fitoterapia desde a antiguidade. Parece que os antigos já as usavam pelas suas propriedades anti-lipidémicas, além das suas virtudes anti-sépticas e antivirais.

Desde então, os trabalhos científicos permitiram validar estas utilizações e identificar novas propriedades antioxidantes (11-12), anti-inflamatórias (15), anti-envelhecimento (18), antimicrobianas (4-5), antivirais (6), antifúngicas (7), gastro-protetoras (8), hipoglicemiantes (9), hipotensoras (10), anti-aterogénicas (13), hipolipidémicas (14), neuroprotetoras (16) e vasodilatadoras (17).

Três mecanismos de ação exatos explicam, no entanto, a maioria dos efeitos de Olive Leaf Extract no plano cardiovascular:

1) a ação anti-colesterol

Os polifenóis da oliveira, e em particular a oleuropeína, atuam sobre a excreção do colesterol (19). Propiciam a evacuação do excesso de colesterol pelas vias biliares, depois pela descarga duodenal e por último, pelas fezes.

2) a ação antioxidante

O potencial antioxidante da oleuropeína é excecional. Uma alimentação enriquecida em extrato de oleuropeína e seus derivados durante 6 semanas melhorou a capacidade antioxidante em idosos institucionalizados (20). Trata-se de uma solução natural para combater o stress oxidativo e inibir a oxidação dos LDL (21).

3) a ação na absorção dos açúcares

Ao fixar-se na sacarase e na maltase, duas enzimas envolvidas na digestão, a oleuropeína opõe-se à absorção dos açúcares, diminuindo, por conseguinte, o pico glucídico. Contribui igualmente para isso abrandando a atividade do veículo de transporte de açúcares, GLUT2.

É apoiado por estudos científicos?

A ação de Olive Leaf Extract foi medida diretamente em três ensaios clínicos realizados no ser humano (22).

1) Toma do suplemento durante um ano, 250 mg por dia

Após 12 meses de toma diária do suplemento por sujeitos que apresentavam índices de colesterol elevados no sangue, os investigadores registaram:

  • uma redução de 20% do colesterol LDL (mau);
  • uma subida de 13% do colesterol HDL (bom);
  • uma diminuição de 10% do colesterol total e de 5% dos triglicéridos.

2) Toma de suplemento de 4 semanas, 250 mg por dia

Nos sujeitos com excesso de peso, e por um período de 4 semanas, o rácio com caráter de previsão do risco coronário melhorou de forma notável relativamente ao placebo. Constatou-se uma diminuição clara dos triglicéridos.

3) Toma de suplemento de 8 semanas, 250 mg por dia

O terceiro estudo interessou-se pelo poder oxidativo de Olive Leaf Extract. Os resultados clínicos após a toma de um suplemento de 250 mg por dia mostraram que Olive Leaf Extract reduzia em mais de 30% os níveis de MDA (malondialdeído), um marcador do stress oxidativo encontrado na urina.

Porquê extratos de folhas e não extratos de azeitonas?

Trabalhos realizados indicam que as folhas são tão ricas em oleuropeína como os frutos (23), mas as folhas de oliveira são consideradas primordialmente como fontes naturais renováveis para a extração desta substância (24). Razão pela qual o Olive Leaf Extract, e o seu composto Olécol®, se apoiam sobretudo nas folhas de oliveira.

Cinco boas razões para escolher Olive Leaf Extract para a saúde dos seus vasos sanguíneos

1) A variedade, a maturidade e a conservação das azeitonas influenciam consideravelmente o seu conteúdo em antioxidantes. Por outro lado, longe das terras mediterrânicas, é difícil poder contar todo o ano com azeitonas para reforçar a saúde cardiovascular. Com um teor excecional e estável em polifenóis de oliveira, Olive Leaf Extract resolve este problema e oferece às pessoas do mundo inteiro a hipótese de usufruir plenamente das virtudes da dieta mediterrânica.

2) A adoção de uma alimentação mediterrânica está associada a uma redução do risco de mortalidade, independentemente das causas (25). Os trabalhos científicos atribuem maioritariamente efeitos protetores à oliveira (26).

3) A biodisponibilidade da oleuropeína é muito elevada; fala-se de 55 a 60% no ser humano (27). A concentração plasmática máxima acontece duas horas após a administração oral. Outros trabalhos demonstraram também que a oleuropeína conseguia atravessar a barreira hemato-encefálica (28).

4) A dieta mediterrânica foi inscrita em 2010 no património mundial da Unesco na lista das heranças culturais intangíveis da humanidade.

5) As doenças cardiovasculares constituem a primeira causa de morte em todo o mundo: todos os anos, mais de 17 milhões de pessoas morrem devido a estas doenças.

O plano de acompanhamento para maximizar os benefícios de Olive Leaf Extract

Para otimizar a eficácia de Olive Leaf Extract, é possível aplicar o plano de ação seguinte durante todo o período de toma do suplemento:

  1. Aumente significativamente a quantidade de frutas e legumes, de frutos secos e de cereais integrais nos seus menus.
  2. Utilize o máximo de especiarias, de aromáticas, de alho e de cebola.
  3. Utilize única e exclusivamente azeite para temperar e óleo de colza para cozinhar.
  4. Consuma diariamente pelo menos um iogurte (idealmente de cabra).
  5. Limite os seus aportes de aves e de carnes vermelhas e dê preferência aos peixe e ao marisco, na medida do possível.
  6. Pratique uma atividade física diária (caminhadas após as refeições, atividade desportiva, exercícios…).
  7. Tome um complemento multivitaminado diariamente.

Estas medidas inscrevem-se no âmbito de uma dieta mediterrânica, inspirada nos hábitos alimentares que tinham tradicionalmente as populações da Bacia mediterrânica. Acompanha perfeitamente a toma diária de Olive Leaf Extract, mas não é indispensável à persistência dos efeitos benéficos do complemento alimentar.

Nota: este produto não deve substituir uma alimentação diversificada e equilibrada nem um modo de vida saudável. Respeitar os conselhos de utilização, a dose diária aconselhada e a data limite de utilização. Desaconselhado para grávidas ou mulheres a amamentar e para crianças com menos de 15 anos. Manter fora do alcance das crianças. Conservar em local seco e fresco.

Referências

  1. Lo Scalzo, R., Scarpati, M.L., Verzebgnassi, B., Vita, G., (1994). Olea europaea chemical repellent to Dacis oleae females. J. Chem. Ecol., 20, 1813-1923.
  2. Uccella, N., (2001). Olive biophenols : biomolecular characterization, distribution and phytolexin histochemical localization in the drupes. Trends Food Science and Technology. 11, 315-327.
  3. Benavente-Garcia, O., Castillo, J., Lorente, J., Ortuno, A., Del Rio, J. A., (2000). Antioxidant activity of phenolics extracted from Olea europaea L-leaves. Food Chemistry, 68(4), 457-462.
  4. Sudjana, A.N., D’Orazio, C., Ryan, V., Rasool, N., Ng, J., Islam, N., Rileya, T.V. Hammera, K.A., (2009). Antimicrobial activity of commercial Olea europaea (olive) leaf extract. International Journal of Antimicrobial Agents, 33, 461-463.
  5. Pereira, A. P., Ferreira, I.C.F.R., Marcelino, F., Valentão, P., Andrade, P.B., Seabra, R., Estevinho, L., Bento, A., Pereira, J.A., (2007). Phenolic Compounds and Antimicrobial Activity of Olive (Olea europaea L. Cv. Cobrançosa) Leaves. Molecules, 12, 1153-1162.
  6. Micol, V., Caturla, N., Pérez-Fons, L., Más, V., Pérez, L., Estepa, A., (2005). The olive leaf extract exhibits antiviral activity against viral haemorrhagic septicaemia rhabdovirus (VHSV). Antiviral Res., 66(2-3):129-36.
  7. Korukluoglu, M., Sahan, Y., Yigit, A., (2008), Antifungal properties of olive leaf extracts and their phenolic compounds. Journal of Food Safety, 28 (1), 76-87.
  8. Dekanski, D., Janicijevic-Hudomal, S., Tadic, V., Markovic, G., Arsic, I., Mitrovic, D. M., (2009). Phytochemical analysis and gastroprotective activity of an olive leaf extract. Journal of the Serbian chemical society, 74 (4), 367-377.
  9. Takeshi, Y., Hiroshi, S., Gustavo, S., Naohide, K., Shuichi, M., (2007). Food containing olive leaf extract and -lipoic acid and prevention of diseases due to accumulation of advanced glycation end products with the food. Patent written in Japanese. JP 2006-167353 20060616. 7 pp.
  10. Susalit, E., Agus, N., Effendi, I., Tjandrawinata, R.R., Nofiarny, D., Perrinjaquet-Moccetti, T., Verbruggen, M., (2011). Olive (Olea europaea) leaf extract effective inpatients with stage-1 hypertension: Comparison with Captopril. Phytomedicine, 18(4), 251-258.
  11. Altiok, E., Baycin, D., Bayraktar, O., Ulku, S., (2008). Isolation of polyphenols from the extracts of olive leaves (Olea europaea L.) by adsorption on silk fibroin. Sep. Purif. Technol., 62(2), 342-348.
  12. Lee, O.H., Lee, B.Y., (2010). Antioxidant and antimicrobial activities of individual and combined phenolics in Olea europaea leaf extract. Bioresource Technology, 101(10), 3751-3754.
  13. Somova, L.I., Shode, F.O., Ramnanan, P., Nadar, A., (2003). Antihypertensive, antiatherosclerotic and antioxidant activity of triterpenoids isolated from Olea europaea, subspecies africana leaves. Journal of Ethnopharmacology, 84(2-3), 299-305.
  14. Jemai, H., Bouaziza, M., Fki, I., El Feki, A., Sayadi, S., (2008). Hypolipidimic and antioxidant activities of oleuropein and its hydrolysis derivative-rich extracts from Chemlali olive leaves. Chemico-Biological Interactions 176, 88–98
  15. Miljkovic, D., Dekanski, D., Miljkovic, E., Momcilovic, M., Mostarica-Stojkovic, M., (2009). Dry olive leaf extract ameliorates experimental autoimmune encephalomyelitis. Clinical Nutrition, 28, 346-350.
  16. Mohagheghi, F., Bigdeli, M. R., Rasoulian, B., Hashemi, P., Rashidi, M.P., (2011). The neuroprotective effect of olive leaf extract is related to improved blood–brain barrier permeability and brain edema in rat with experimental focal cerebral ischemia Phytomedicine, 18 (2-3), 170-175.
  17. Zarzuelo, A., Duarte, J., Jiménez, J., Gonzalez, M., Utrilla, M.P., (1991). Vasodilator effect of olive leaf. Planta Medica, 57(5), 417-419.
  18. Julián Castillo, J., Alcaraz, M., Benavente-García, O., (2010). Antioxidant and Radioprotective Effects of Olive Leaf Extract. Olives and Olive Oil in Health and Disease Prevention, 951-958.
  19. Coni E, Di Benedetto R, Di Pasquale M, et al. 2000. Protective effect of oleuropein, an olive oil biophenol, on low density lipoprotein oxidizability in rabbits. Lipids 35 : 45–54.
  20. Oliveras-López MJ, Molina JJ, Mir MV, Rey EF, Martín F, de la Serrana HL. 2013. Extra virgin olive oil (EVOO) consumption and antioxidant status in healthy institutionalized elderly humans. Arch. Gerontol. Geriatr. 57 : 234–242.
  21. Visioli F, Caruso D, Galli C, Sala A. 2000. Olive oils rich in natural catecholic phenols decrease isoprostane excretion in humans. Biochem Biophys. Res. Commun. 278 : 797–799.
  22. The Effect of Olive Leaf Extract Administration on Cardiovascular Health, Avril 2017, https://ichgcp.net/clinical-trials-registry/NCT02990637] Consulté le 15 octobre 2018.
  23. Briante, R., La Cara, F., Febbraio, F., Patumi, M., Nucci, R., (2002). Bioactive derivatives from oleuropein by a biotransformation on Olea europaea leaf extracts. Journal of Biotechnology, 93, 109– 119.
  24. Bouaziz, M., Sayadi, S., (2005). Isolation and evaluation of antioxidants from leaves of a Tunisian cultivar olive tree. Eur. J. Lipid Sci. Technol., 107, 497-504.
  25. Perez-Lopez FR, Chedraui P, Haya J, Cuadros. JL. 2009. Effects of the Mediterranean diet on longevity and age-related morbid conditions. Maturitas 64 : 67–79.
  26. Keys A. 1995. Mediterranean diet and public health : personal reflexions. Am. J. Clin. Nutr. 61 : 1321S–1323S.
  27. Vissers MN, Zock PL, Roodenburg AJ, Leemen R, Katan MB. 2002. Apparent absorption of olive oil phenols in humans. J. Nutr. 132 : 409–417.
  28. Serra A, Rubió L, Borràs X, Macià A, Romero MP, Motilva MJ. Distribution of olive oil phenolic compounds in rat tissues after administration of a phenolic extract from olive cake, Mol Nutr Food Res. 2012 Mar;56(3):486-96. doi: 10.1002/mnfr.201100436. Epub 2011 Dec 20.
Dose: 2 cápsulas
Número de doses por embalagem: 30
Quantidade por dose
Olecol®, extraído de folha de oliveira Olea Europaea normalizado a 32% Oleuropeína 250 mg
Outros ingredientes: goma de acácia, farelo de arroz.
Olecol®, Bioactor, Países Baixos.


Adultos. Tomar 2 cápsulas por dia. Cada cápsula contém 125 mg de Olecol®.

Precauções: Não exceda a dose diária recomendada. Este produto é um suplemento nutricional que não devem substituir uma dieta variada e equilibrada. Manter fora do alcance das crianças. Armazenar longe de luz, calor e umidade. Como com qualquer suplemento nutricional, consulte um profissional de saúde antes de usar se estiver grávida, amamentando ou se você tiver um problema de saúde.
 
Descubra alguns testemunhos dos nossos clientes
close

Gratuito

Obrigado pela sua visita; antes de partir

INSCREVA-SE NO
Club SuperSmart
E beneficie
de vantagens exclusivas:
Continuar as minhas compras
keyboard_arrow_up