INNOVATION AND EXCELLENCE SINCE 1992
Início
  >  
Categorias
  >  
Probióticos e prebióticos
  >  
Derma Relief
Derma Relief
Novo
Derma Relief

A Fórmula Probiótica para acabar com os problemas de pele

  • Três mil milhões de probióticos por dose
  • Quatro estirpes seleccionadas pelo respectivo interesse que têm para a pele
  • Contém vitamina B2 que optimiza a saúde das mucosas e da pele
  • Contém vitamina C que ajuda a formação de colagénio e optimiza as funções da pele
see review

Quantidade : 30 sticks 49.00 €
(55.30 US$)
juntar ao cesto

+Certificado de Análise

A quem se destina Derma Relief?

DermaRelief destina-se a todos os que desejam aliviar e melhorar naturalmente os seus problemas de pele e aos que não respondem aos tratamentos habituais.

Podemos citar alguns destes problemas de pele recalcitrantes:

  • acne;
  • dermatite atópica;
  • eczema;
  • impetigo;
  • vitiligo;
  • placas vermelhas;
  • pontos negros;
  • borbulhas, pontos negros ou micro quistos;
  • hiper seborreia (pele oleosa);
  • vermelhidões;
  • escamação;
  • comichões na pele.

O que é Derma Relief?

A fórmula de DermaRelief baseia-se numa teoria muito documentada no plano científico (1); ao tomar probióticos, está a criar um ambiente saudável para a sua flora intestinal e diminui a inflamação nas camadas da sua pele.

DermaRelief contém quatro estirpes de probióticos duplamente revestidas por uma camada protectora, que lhes permite chegar ao intestino em perfeitas condições. Estas estirpes, destinadas a colonizar o intestino, foram criteriosamente seleccionadas pelo interesse que têm relativamente à pele, ao sistema imunitário e à inflamação:

  • Lactobacillus casei;
  • Lactobacillus rhamnosus;
  • Lactobacillus plantarum;
  • Bifidobacterium lactis.

DermaRelief contém igualmente vários compostos que permitem o desenvolvimento destes probióticos ou que actuam em sinergia com eles:

  • Fruto-oligossacáridos e oligosacáridos. Estes elementos, naturalmente presentes nas sementes, frutos e nos órgãos subterrâneos das leguminosas, destinam-se a “alimentar” os probióticos e a contribuir para o seu desenvolvimento; são designados prebióticos.
  • Vvitamina C. A vitamina C optimiza as funções do sistema imunitário e contribui para a formação ideal do colagénio na pele.
  • Vitamina E (na forma de acetato de DL-alfa-tocoferil). Ao passar pelo organismo, os tocoferis transformam-se em tocoferóis e tornam-se activos: estão plenamente envolvidos na protecção das células da pele relativamente ao stress oxidativo. A vitamina E tem também propriedades anti-inflamatórias e de vasodilatação que não estão ligadas à sua actividade antioxidante.
  • Vitamina B2 (riboflavina). Contribui para manter a saúde das mucosas da pele (2).

Quais são os mecanismos de acção de DermaRelief que explicam os seus efeitos na pele?

Contrariamente ao que se pode pensar, os probióticos não se destinam exclusivamente a prevenir ou melhorar os problemas gastrointestinais. Sabemos agora que eles exercem efeitos sistémicos e que os seus efeitos podem ver-se na pele se as estirpes forem bem seleccionadas.

O doutor Meneghin e a sua equipa analisaram 37 ensaios clínicos que visavam o interesse dos probióticos orais no plano dermatológico; 13 em cada 17 mostraram a sua eficácia na prevenção, ao passo que 15 em cada 20 evidenciaram a sua eficácia em tratamento (3).

Pelo menos três mecanismos podem explicar os benefícios na pele conferidos pelos probióticos contidos em DermaRelief.

1) A preservação da integridade da barreira intestinal

Os probióticos contribuem para reforçar a impermeabilidade da barreira intestinal, nomeadamente aumentando a secreção de imunoglobulinas A (IgA). Estes anticorpos têm o papel de neutralizar as bactérias nefastas e as toxinas presentes no lúmen intestinal (4).

O reforço da barreira intestinal impede a passagem de diversos componentes para a circulação sanguínea, que podem acentuar a inflamação ao nível da pele.

2) A modulação do sistema imunitário da pele

Os probióticos e seus derivados modulam o sistema imunitário activando as células dendríticas (5-6), estimulando as células NK (7-8) e induzindo uma diferenciação dos linfócitos T.

Ora, as células dendríticas e os linfócitos T estão justamente envolvidos nas melhorias observadas ao nível da pele após um tratamento com probióticos. Esta influência no sistema imunitário origina efeitos anti-inflamatórios devido a um aumento da produção de interleucina 10 (IL10) (9-10) – uma citocina com um forte poder anti-inflamatório segregada pelo organismo em reacção a várias condições patológicas como o eczema ou a dermatite.

3) A modulação do eixo intestino-cérebro-pele

Este mecanismo repousa na capacidade de os estados emocionais (como a depressão ou a ansiedade) alterarem o microbiota intestinal, aumentarem a permeabilidade intestinal e contribuírem para a inflamação sistémica.

Os probióticos lácticos teriam a capacidade de reduzir a libertação de um neuropeptídeo (ou seja de um polipeptídeo com funções de neurotransmissor e de modulador), a substância P (11). Este neuropeptídeo é libertado pelo sistema nervoso em caso dor, stress, perturbações do humor e ansiedade, mas encontramo-lo também em abundância ao nível da pele em caso de problemas cutâneos como a dermatite atópica e o eczema (12). Ao reduzir a libertação deste composto, os probióticos contribuem portanto para uma diminuição das afecções da pele.

As perguntas frequentes dos internautas


Quais são as boas razões para experimentar DermaRelief?

Se ainda hesita em experimentar DermaRelief, eis seis argumentos que não o(a) irão deixar indiferente.

  1. Constata-se uma hiperactividade do sistema imunitário da pele (queratinócitos, células dendríticas e linfócitos T) em inúmeras afecções dermatológicas (13-16).
  2. Os problemas do trânsito intestinal e das patologias como a doença de Crohn e a síndrome do intestino irritável têm muitas vezes manifestações dermatológicas (17-18).
  3. Consomem-se alimentos fermentados (contendo portanto probióticos) na maioria das culturas do planeta há pelo menos 8000 anos.
  4. Mostrou que a alimentação contribuía para a protecção das células da pele por via interna com um aporte em tocoferóis e em vitamina C, nomeadamente.
  5. Os animais que não possuem flora intestinal caracterizam-se por um número mais baixo de linfócitos B e T, de células dendríticas, e de imunoglobulinas e por um aumento significativo da Inflamação; todas estas perturbações desaparecem após a toma de suplementos de probióticos (19).
  6. DermaRelief é constituído por quatro estirpes bacterianas Rigorosamente seleccionadas pelo seu poder probiótico e apenas contém um excipiente natural: farinha de milho.

Porque é que a nossa flora intestinal se degradou?

A flora intestinal permite produzir vitaminas que não conseguimos sintetizar, digerir moléculas complexas e até contribuir para a eficácia do sistema imunitário. A sua presença é o fruto de uma longa colaboração que desempenhou um papel crucial na evolução da espécie humana.

Hoje em dia, infelizmente, vários factores, como o consumo excessivo de produtos ultra-transformados e o excesso de agentes antimicrobianos contribuem para alterar profundamente a diversidade e a quantidade de bactérias benéficas que colonizam o nosso intestino. Esta alteração é dramática dado que as mulheres transmitem depois o seu microbiota aos filhos (20). Paralelamente, as alergias cutâneas e as afecções dermatológicas crónicas não cessam de aumentar, sobretudo nos países ocidentais.

A toma de suplementos de probióticos permite restabelecer um microbiota normal após perturbações como uma terapia com antibióticos (21).

Quais são as medidas a associar a DermaRelief?

Para acentuar a eficácia de DermaRelief, é aconselhável adoptar – em paralelo – um determinado número de medidas preventivas:

  • privilegiar um regime alimentar com um rácio de ómega 6/ómega 3 próximo de 1 ; isso reduziria os eicosanóides pró-inflamatórios e a hiperqueratinização do folículo pilo-sebáceo (22), dois mecanismos que encontramos no acne;
  • evitar os irritantes para a pele, como a lã, ou produtos químicos e os detergentes;
  • evitar coçar as zona da pele afectadas; isso exacerba a inflamação e a irritação. aplicar compressas húmidas sobre as zonas afectadas;
  • evitar vestuário muito quente e expor-se a temperaturas susceptíveis de fazer suar abundantemente;
  • adoptar medidas para reduzir o stress; o stress estimula as reacções alérgicas e agrava os surtos de eczema (23).

Posso tomar DermaRelief junto com outros suplementos nutricionais?

DermaRelief associa-se muito bem a outros suplementos destinados a reforçar o sistema imunitário, como o AHCC ou aos suplementos que visam preservar a estrutura dos tecidos cutâneos, como Polypodium leucotomos, um extracto de feto muito apreciado pela medicina tradicional sul americana. Para conseguir constituir uma dieta alimentar com um rácio de ómega 6/ómega 3 próximo de 1, é também desejável recorrer a suplementos de ómega 3.

Como tomar DermaRelief?

O produto acabado é apresentado na forma de doses de 2 g, contendo 3 mil milhões de bactérias lácticas a conservar no frigorífico. Trata-se de uma dose suficiente para uma utilização única diária.

Para tomar, basta verter o conteúdo da dose num copo de água ou directamente na boca.

Referências

  1. Adrián D. Friedrich, Mariela L. Paz et al. Message in a Bottle: Dialog between Intestine and Skin Modulated by Probiotics, Int J Mol Sci. 2017 Jun; 18(6): 1067.
  2. Meneghin F., Fabiano V., Mameli C., Zuccotti G.V. Probiotics and atopic dermatitis in children. Pharmaceuticals. 2012;5:727–744. doi: 10.3390/ph5070727
  3. Kaila M, Isolauri E, Soppi E, Virtanen E, Laine S, Arvilommi H. Enhancement of the circulating antibody secreting cell response in human diarrhea by a human Lactobacillus strain. Pediatric Research. 1992;32(2):141–144
  4. Sivan A., Corrales L., Hubert N., Williams J.B., Aquino-Michaels K., Earley Z.M., Benyamin F.W., Lei Y.M., Jabri B., Alegre M.L., et al. Commensal Bifidobacterium promotes antitumor immunity and facilitates anti-PD-L1 efficacy. Science. 2015;350:1084–1089. doi: 10.1126/science.aac4255.
  5. Peguet-Navarro J., Dezutter-Dambuyant C., Buetler T., Leclaire J., Smola H., Blum S., Bastien P., Breton L., Gueniche A. Supplementation with oral probiotic bacteria protects human cutaneous immune homeostasis after UV exposure-double blind, randomized, placebo controlled clinical trial. Eur. J. Dermatol. 2008;18:504–511.
  6. Bouilly-Gauthier D., Jeannes C., Maubert Y., Duteil L., Queille-Roussel C., Piccardi N., Montastier C., Manissier P., Piérard G., Ortonne J.P. Clinical evidence of benefits of a dietary supplement containing probiotic and carotenoids on ultraviolet-induced skin damage. Br. J. Dermatol. 2010;163:536–543. doi: 10.1111/j.1365-2133.2010.09888.x.
  7. Patra V., Byrne S.N., Wolf P. The skin microbiome: Is it affected by UV-induced immune suppression? Front. Microbiol. 2016;7:1235. doi: 10.3389/fmicb.2016.01235
  8. Christensen HR, Frøkiær H, Pestka JJ. Lactobacilli differentially modulate expression of cytokines and maturation surface markers in murine dendritic cells. Journal of Immunology. 2002;168(1):171–178.
  9. Salminen SJ, Gueimonde M, Isolauri E. Probiotics that modify disease risk. Journal of Nutrition. 2005;135(5):1294–1298.
  10. Verdú E.F., Bercik P., Verma-Gandhu M., Huang X.X., Blennerhassett P., Jackson W., Mao Y., Wang L., Rochat F., Collins S.M. Specific probiotic therapy attenuates antibiotic induced visceral hypersensitivity in mice. Gut. 2006;55:182–190. doi: 10.1136/gut.2005.066100
  11. Pavlovic S., Daniltchenko M., Tobin D.J., Hagen E., Hunt S.P., Klapp B.F., Arck P.C., Peters E.M.J. Further exploring the brain-skin connection: Stress worsens dermatitis via substance P-dependent neurogenic inflammation in mice. J. Investig. Dermatol. 2008;128:434–446. doi: 10.1038/sj.jid.5701079.
  12. Greb J.E., Goldminz A.M., Elder J.T., Lebwohl M.G., Gladman D.D., Wu J.J., Mehta N.N., Finlay A.Y., Gottlieb A.B. Psoriasis. Nat. Rev. Dis. Prim. 2016;2:16082. doi: 10.1038/nrdp.2016.82
  13. Brown S.J. Molecular mechanisms in atopic eczema: Insights gained from genetic studies. J. Pathol. 2017;241:140–145. doi: 10.1002/path.4810.
  14. Martin S.F., Jakob T. From innate to adaptive immune responses in contact hypersensitivity. Curr. Opin. Allergy Clin. Immunol. 2008;8:289–293. doi: 10.1097/ACI.0b013e3283088cf9
  15. Gober M.D., Gaspari A.A. Dermatologic Immunity. Volume 10. KARGER; Basel, Switzerland: 2008. Allergic contact dermatitis; pp. 1–26
  16. Huang B.L., Chandra S., Shih D.Q. Skin manifestations of inflammatory bowel disease. Front. Physiol. 2012;3:13. doi: 10.3389/fphys.2012.00013.
  17. Skin manifestations of inflammatory bowel disease. Front Physiol. 2012 Feb 6;3:13. doi: 10.3389/fphys.2012.00013. eCollection 2012
  18. Hormannsperger G, Clavel T, Haller D. Gut matters: microbe-host interactions in allergic diseases. J Allergy Clin Immunol. 2012;129(6):1452-9.
  19. Cebra J.J. Influences of microbiota on intestinal immune system development. Am. J. Clin. Nutr. 1999;69:1046S–1051S.
  20. Engelbrektson A., Korzenik J.R., Pittler A., Sanders M.E., Klaenhammer T.R., Leyer G., Kitts C.L. Probiotics to minimize the disruption of faecal microbiota in healthy subjects undergoing antibiotic therapy. J. Med. Microbiol. 2009;58:663–670. doi: 10.1099/jmm.0.47615-0.
  21. Logan AC. Omega-3 fatty acids and acne. Arch Dermatol 2003 ; 139 : 941-2.
  22. Kimata H. Enhancement of allergic skin wheal responses in patients with atopic eczema/dermatitis syndrome by playing video games or by a frequently ringing mobile phone. Eur J Clin Invest. 2003 Jun;33(6):513-7.
Dose diária: 1 dose
Número de doses por caixa: 30

Quantidade
por dose

Lactobacillus casei CBT LC5 1,2 mil milhões de CFU
Lactobacillus rhamnosus CBT LR5 0,6 mil milhões de CFU
Lactobacillus plantarum CBT LP3 0,6 mil milhões de CFU
Bifidobacterium lactis CBT BL3 0,6 mil milhões de CFU
Dextrose 700 mg
Polidextrose 630 mg
Fruto-oligossacáridos 450 mg
Galacto-oligossacáridos 100 mg
Riboflavina 0,45 mg
Vitamina C 25 mg
Acetato de DL-alfa-tocoferol 8 mg
Cloreto de tiamina 0,45 mg
Piridoxamina 0,45 mg
Outros ingredientes: Farinha de milho.


Tomar uma dose por dia diluída num copo de água. Conservar no frigorífico.

Precauções: Não exceda a dose diária recomendada. Este produto é um suplemento nutricional que não devem substituir uma dieta variada e equilibrada. Manter fora do alcance das crianças. Armazenar longe de luz, calor e umidade. Como com qualquer suplemento nutricional, consulte um profissional de saúde antes de usar se estiver grávida, amamentando ou se você tiver um problema de saúde.
 
Descubra alguns testemunhos dos nossos clientes
close

Gratuito

Obrigado pela sua visita; antes de partir

INSCREVA-SE NO
Club SuperSmart
E beneficie
de vantagens exclusivas:
Continuar as minhas compras
keyboard_arrow_up