0
pt
US
X
× SuperSmart Comprar por problema de saude Comprar por ingrediente Best-sellers Novidades Promoção A minha conta Smart Prescription Blog Programa de fidelização Idioma: Português
Início Perguntas frequentes (F.A.Q.)

Venda online de complementos alimentares e de suplementos nutricionais

Tem perguntas sobre os suplementos vendidos pela Supersmart? Tem uma dúvida sobre a sua encomenda? Eis as perguntas que são feitas com frequências pelos nossos clientes. Pense em verificar se a sua pergunta consta nesta lista antes de contactar os nossos operadores!

A propósito dos nossos suplementos alimentares

  1. Os produtos de Supersmart.com são mesmo mais caros que os outros?
  2. Porque é que as descrições dos artigos e a documentação são tão difíceis de ler?
  3. Onde são fabricados os vossos produtos e a partir de onde são distribuídos?
  4. Os vossos produtos contêm substâncias alergénicas?
  5. O que é que encontramos em Supersmart.com que não encontramos em mais lugar nenhum?
  6. O que é que não encontramos na Supersmart?
  7. Porque é que os vossos suplementos contêm excipientes? Alguns podem ser nefastos?
  8. As vossas cápsulas são fabricadas com gelatina?
  9. Como escolhem os vossos suplementos alimentares?
  10. Posso abrir as cápsulas? Fragmentar os comprimidos? Furar as cápsulas de gelatina mole?
  11. O rótulo do meu suplemento habitual mudou; isso significa que a dosagem foi alterada?

A propósito da sua encomenda

  1. Quanto tempo demora até a minha encomenda ser enviada?
  2. Qual é o custo da entrega?
  3. Esqueci-me da minha password. Que posso fazer?
  4. Não recebi o produto que tinha encomendado. Que posso fazer?
  5. Como utilizar um código de desconto?
  6. Não estou satisfeito(a) com o produto que comprei; gostaria de obter um reembolso. Isso é possível?
  7. Porque é que a minha fatura não vem no pacote?
  8. Como é definido o tamanho do meu pacote?

As suas perguntas a propósito dos nossos suplementos alimentares

1. Os produtos de Supersmart.com são mesmo mais caros que os outros?

Em matéria de saúde, mais do que em qualquer outro setor, o “mais barato” é sempre o mais caro. Os suplementos alimentares de má qualidade podem custar-lhe menos dinheiro, mas – a longo prazo – terão um custo muito elevado para a sua saúde.

Quando concebemos um produto, o preço de custo e o preço de venda não são tidos em conta; focamo-nos unicamente em utilizar as melhores matérias-primas, ingredientes patenteados, as formas e dosagens validadas pela literatura científica, os acondicionamentos que garantem a melhor conservação do produto e a melhor biodisponibilidade. Esta opção pela excelência tem um custo, mas é o preço a pagar para maximizar os efeitos benéficos descritos nos ensaios clínicos.

Aplicamos margens de comercialização que são a norma no nosso setor de atividade (nem superiores nem inferiores) e o preço de venda não é alvo de qualquer manipulação. Se um produto de Supersmart.com é por vezes, aparentemente, mais caro do que um outro produto europeu, isso deve-se exclusivamente a critérios de qualidade mais elevados. Pelo contrário, admitimos naturalmente que os preços dos suplementos nutricionais europeus são superiores aos dos produtos semelhantes vendidos nos Estados Unidos. O mercado americano dos suplementos é o maior do mundo e as condições fiscais e regulamentares às quais aí estão sujeitas as empresas são incomparavelmente mais favoráveis. Isto explica os preços americanos mais baixos.

Três razões que explicam o preço dos nossos suplementos alimentares:

  1. Os suplementos que contêm ingredientes patenteados, como Mirtoselect® (Eye Pressure Control), ZeroPollution® ou Go-Less® (Complete Uricare) têm tendência para custar um pouco mais porque os produtores que os elaboraram investiram na investigação para garantir que os seus compostos funcionavam melhor que os outros. Vai pagar um pouco mais caro, mas sabe que terá nas mãos um suplemento que foi objeto de estudos científicos que demonstraram a sua eficácia e inocuidade.
  2. A origem das matérias-primas também pode afetar o preço. A glucosamina de origem marinha (Joint Support Formula), por exemplo, é muito mais cara do que a que é extraída dos bovinos e que suscitou muito mais preocupação no passado com a doença das vacas loucas. Constata-se o mesmo relativamente à forma das vitaminas ou dos minerais; o carbonato de cálcio é muito barato, mas inúmeros estudos mostram que outras formas (como o orotato de cálcio) são muito mais bem absorvidas. De igual modo, suspeita-se que determinadas formas de vitaminas sintéticas baratas agravem os problemas de saúde e acabem por induzir um efeito inverso ao esperado!
  3. A forma como um suplemento é fabricado pode também influenciar o seu preço; a forma de “comprimido” tem tendência para custar menos do que as cápsulas; mas os comprimidos são mais difíceis de digerir. Pelo contrário, as cápsulas gastrorresistentes e as cápsulas de libertação retardada que utilizamos para os nossos probióticos são mais caras, pois constituem tecnologia de ponta, mas garantem uma eficácia máxima. A liofilização dos extratos vegetais, que mantém muito melhor o seu valor nutricional do que a secagem em tambor, pode custar igualmente mais caro, tal como a utilização de produtos provenientes de agricultura biológica, que preferimos sempre que possível (Organic acacia, Organic Royal Jelly, Organic MycoComplex…).

Apesar das escolhas ditadas pela excelência, a SuperSmart conseguiu em 2018 o feito de baixar os seus preços e de apresentar uma relação qualidade-preço inédita. Esta proeza foi possível graças à exigência crescente dos consumidores (que permitiu tornar os produtos de alta qualidade mais acessíveis) e a uma organização logística cada vez melhor. No contexto económico atual, esta evolução é bem-vinda; se somos poucos a aceitar sacrificar a nossa saúde optando pelo produto mais barato, procuramos sempre pagar o melhor produto ao preço mais baixo possível.

Sobre este tópico, aconselhamos consultar regularmente a secção Promoções do site; esta irá permitir-se comprar alguns dos nossos suplementos a preços reduzidos.

2. Porque é que os textos e a documentação são por vezes tão difíceis de ler?

Uma informação clara, transparente e documentada, eis o segredo para uma escolha esclarecida. Existem tantas correntes de pensamento e teorias fantasiosas em matéria de nutrição que fizemos sempre da informação científica um dos nossos objetivos prioritários. No entanto, não é uma aposta fácil. A nutrição e a bioquímica são assuntos complexos, difíceis de vulgarizar sem falta de rigor. É por esta razão que poucos profissionais de saúde se aventuram nesta área, obrigando as pessoas que se interessam por nutrição a procurar as informações na quase clandestinidade.

Há alguns anos decidimos, contudo, vulgarizar mais as descrições dos produtos adicionando-lhes ilustrações, fontes científicos para consulta, parágrafos mais claros, mais arejados e complementados por conselhos práticos. Fazemos tudo para tornar compreensíveis os mecanismos fisiológicos envolvidos e proporcionar o melhor acompanhamento possível na sua toma de suplementos.

Se, apesar de todos os nossos esforços, achar determinadas descrições demasiado difíceis de compreender, não hesite em nos comunicar esse facto; teremos todo o prazer em lhas explicar. Para tal, vá à página Contacto.

3. Onde são fabricados os vossos produtos e a partir de onde são distribuídos?

Fabricamos cerca de 60% dos nossos produtos nos Estados Unidos e 40% na Europa. Apesar das taxas de juro desfavoráveis, o mercado americano continua a ser, de longe, a referência mundial em termos de suplementos nutricionais e nós elaboramos aí muitos produtos que não seria possível elaborar na Europa. O nosso centro de distribuição principal situa-se nos Países Baixos e dispomos de um centro secundário nos Estados Unidos. O nosso serviço administrativo e o nosso apoio a clientes estão sediados no Grão-Ducado do Luxemburgo há mais de quinze anos. Esta organização é um pouco complexa, mas traz-nos leveza, resiliência e fiabilidade.

4. Os vossos produtos contêm substâncias alergénicas?

As alergias alimentares mais frequentes estão, de facto, relacionadas com alimentos muito populares, como os ovos, o leite, os frutos de casca rija (amêndoas, nozes, caju…), os crustáceos, os amendoins, o aipo, etc. Estes ingredientes figuram numa lista dos alergénicos mais comuns definida pela legislação comunitária, e comprometemo-nos a mencionar sistematicamente a sua presença nos nossos suplementos.

Tendo em conta a nossa vontade de lhe propor ingredientes de origem natural, é perfeitamente lógico que alguns dos nossos suplementos contenham ingredientes que figuram na referida lista. Assim, o nosso suplemento de óleo de krill contém, obviamente, crustáceos, tal como o nosso excelente suplemento Celery3nb contém, evidentemente, sementes de aipo. É precisamente por isso que são tão apreciados.

Em contrapartida, asseguramos-lhe que nunca irá encontrar alergénicos sintéticos nos nossos excipientes.

5. O que é que encontramos em Supersmart.com que não encontramos em mais lugar nenhum?

Desde o seu surgimento no mercado europeu dos suplementos nutricionais, há 28 anos, a Supersmart pauta-se única e exclusivamente pela inovação e pela excelência. Com o passar dos anos, este princípio fundamental permitiu alimentar um catálogo de suplementos excecionalmente rico. Eis o que nele irá encontrar:

6. O que é que não encontramos na Supersmart?

Na Supersmart, nunca encontrará:

7. Porque é que os vossos suplementos contêm excipientes? Alguns podem ser nefastos?

Contrariamente aos excipientes inseridos nos alimentos transformados, os utilizados nos medicamentos e nos suplementos alimentares são indispensáveis:

Para fabricar um suplemento alimentar eficaz, é portanto indispensável utilizar excipientes. Mas seria absurdo utilizar excipientes tóxicos num produto destinado a melhorar a saúde humana! Razão pela qual lhe garantimos a ausência de “excipientes com efeitos negativos” nos nossos suplementos, tal como definidos pela legislação europeia.

Embora não exista qualquer estudo científico que tenha demonstrado a sua toxicidade, decidimos igualmente substituir a celulose microcristalina, o dióxido de silício, o estearato de magnésio e todos os outros excipientes sintéticos por excipientes naturais : a goma de acácia, a farinha de arroz e o farelo de arroz. Estes excipientes não figuram na lista europeia dos excipientes com efeitos negativos; são considerados “seguros” para a saúde. É, portanto, acima de tudo por considerações ecológicas e éticas, mas também para satisfazer os nossos clientes desejosos de ver surgir mais excipientes 100% naturais nos nossos produtos (“Clean Label”), que tomámos esta medida. Este processo de substituição progressiva está prestes a chegar o fim; deverá ser finalizado durante 2020. Mais de 300 produtos Supersmart contêm já excipientes 100% naturais.

Caso tenha qualquer reparo sobre este assunto ou deseje dar-nos outras sugestões para melhorar a qualidade dos nossos produtos, contacte-nos usando a página Contacto.

8. As vossas cápsulas são fabricadas com gelatina?

A maioria das nossas cápsulas são fabricadas a partir de hidroxipropilmetilcelulose (HPMC), reconhecida como “segura” pela FDA e pela União Europeia para uso alimentar (1). O seu nome pode assustar mas, na realidade, trata-se de um composto de origem vegetal (a celulose das plantas), cuja transformação não implica a intervenção de qualquer aditivo químico nem qualquer produto de origem animal (a termogelificação).

Embora não exista qualquer estudo científico que alguma vez tenha demonstrado o mínimo efeito nefasto da HPMC no organismo (2), nem mesmo um qualquer potencial alergénico, algumas fontes de informações duvidosas tentam atualmente desacreditá-la. A sua reputação é manchada pela presença no mercado de cápsulas de muito baixa qualidade que podem conter metais pesados, resíduos de solventes ou de bolores. Mas a presença destes elementos indesejáveis não tem nada que ver com a HPMC; ela deriva da violação das normas de fabrico. Recorremos a pesos pesados no tocante ao fabrico de cápsulas de HPMC, como a Capsugel, para as nossas VCaps™ e DRcaps™, que disponibiliza à sua clientela todos os resultados das análises efetuadas nas suas gamas de cápsulas. Tais resultados demonstram-nos diariamente o respeito pelas normas de qualidade e de segurança definidas pelas autoridades sanitárias e a sua total inocuidade no ser humano.

Uma parte das nossas cápsulas (cerca de um terço) é fabricada a partir de pululano, um outro composto polissacarídeo de origem vegetal, produzido a partir do amido pelo cogumelo não tóxico Aureobasidium pullulans. É igualmente reconhecido como “seguro” pela FDA e pela União Europeia. A HPMC e o pululano são ambos polímeros de origem vegetal e constituem excelentes alternativas à gelatina, um composto de origem animal. Estas substâncias são não nocivas para o organismo, não alergénicas, não patogénicas e não cancerígenas. O pululano apresenta duas vantagens únicas: é mais impermeável ao oxigénio (razão pela qual o utilizamos para conservar determinados ingredientes frágeis) e é mais simples de produzir. Em contrapartida, apresenta um defeito importante: está mais sujeito a quebras em caso de fortes variações de higrometria.

Excecionalmente, algumas das nossas cápsulas contêm gelatina. Neste caso, tal facto é indicado na ficha descritiva do produto, no quadro de composição e no rótulo. A escolha do material das cápsulas depende de inúmeras limitações ligadas aos produtos nelas contido e ao respetivo modo de administração.

9. Como escolhem os vossos suplementos alimentares?

São sobretudo os resultados da investigação que motivam as nossas escolhas, mas inspiramo-nos igualmente nas medicinas naturais e tradicionais, atualmente em pleno desenvolvimento. Desacreditadas no passado, são agora vista como pioneiras e são cada vez mais respeitadas pela comunidade científica. Os estudos realizados não só evidenciam os mecanismos de ação das várias plantas medicinais que constituem a respetiva farmacopeia como validam os seus fundamentos. Assim, trabalhos recentes mostraram que as medicinas tradicionais – que defendem desde sempre as relações extremamente complexas entre o corpo e o espírito – tinham razão; existe, de facto, uma ligação incontestável entre o nosso estado de espírito e a secreção de várias substâncias (hormonas, proteínas, neurotransmissores) que influenciam significativamente, a longo prazo, a nossa saúde. E esta ligação é suficientemente forte para que associemos o stress e a depressão a um aumento considerável do risco de ter cancro.

Na medida do possível, escolhemos por isso suplementos que gozam tanto de uma validação científica como de uma validação empírica. Quando lhe propomos o primeiro psicobiótico que visa os problemas do humor (Lactoxira), temos em mente os alimentos fermentados tradicionais como o kefir, o shoju ou o garum, considerados antigamente fatores de vitalidade, mas apoiamo-nos também nos mais recentes estudos que demonstram a comunicação espantosa entre as bactérias intestinais e o cérebro. Quando lhe propomos o suplemento Complete Uricare, selecionamos os produtos naturais tradicionalmente utilizados para melhorar os problemas urinários, mas utilizamos apenas os que estão mais validados cientificamente.

Em todos os casos, esforçamo-nos sempre por lhe propor o produto mais eficaz, selecionando as melhores matérias-primas, cuidando do seu acondicionamento, dosagem e forma e fazendo tudo o que está ao nosso alcance para potenciar a sua biodisponibilidade no organismo. Todas as etapas de conceção dos nossos suplementos alimentares são coordenadas pelo doutor Nahon, farmacêutico especialista em nutrição.

10. Posso abrir as cápsulas? Fragmentar os comprimidos? Furar as cápsulas de gelatina mole?

Regra geral, a abertura de uma cápsula e a fragmentação de um comprimido não origina problemas graves. Mas estas práticas não são as ideais: levam geralmente a uma libertação mais rápida das substâncias ativas contidas na cápsula – e, por conseguinte, a um risco de efeitos secundários mais acentuado – bem como a uma diminuição da absorção das moléculas pelo organismo.

Em alguns casos, estas práticas são mesmo claramente desaconselhadas:

As cápsulas são geralmente compostas por duas metades que encaixam uma na outra. Caso deseje abri-las para reduzir a dose contida em cada uma delas, aconselhamos-lhe que compre cápsulas vazias, reparta o conteúdo de uma cápsula por duas cápsulas vazias e volte depois a fechá-las cuidadosamente.

Caso deseje fragmentar um comprimido em vários pedaços por ter dificuldade em o engolir, aconselhamos que use um x-ato para obter pedaços mais exatos. Pode igualmente reduzir o comprimido a pó usando um almofariz e colocá-lo de imediato na comida.

Não é possível “abrir” uma cápsula de gelatina mole (softgel), pois o respetivo revestimento é inteiriço. Em contrapartida, pode furar ligeiramente a cápsula e verter o conteúdo numa bebida ou na comida, mas não garantimos que o sabor resultante seja agradável! Corre-se igualmente o risco de a absorção dos princípios ativos são significativamente reduzida.

Em todos os casos, estas práticas expõem as substâncias ativas a mais luz, humidade e oxigénio, o que provoca uma oxidação mais rápida e acelera a sua decomposição.

Estas informações referem-se unicamente aos suplementos alimentares: é vivamente desaconselhado abrir as cápsulas de medicamentos sem a opinião do seu médico.

11. O rótulo do meu suplemento habitual mudou; isso significa que a dosagem foi alterada?

A forma de redigir os rótulos evolui. Caso o rótulo dos seus suplementos habituais tenha mudado, isso não significa que a respetiva dosagem tenha sido alterada.

Explicações: para maior clareza, deixámos de indicar no rótulo a quantidade fornecida numa toma e passámos a indicar a quantidade fornecida numa dose diária (ou seja, o total das várias tomas do dia).

Um exemplo concreto?

Imaginemos que toma por dia, em 2 tomas, uma cápsula que contém 500 mg da substância X. Assim sendo, toma 500 mg x 2 = 1000 mg de substância X por dia. No rótulo, será indicada diretamente esta dose diária: 1000 mg. Para mais informações sobre a composição, pode ler o verso do rótulo ou a parte “Informação nutricional” do produto no site.

Portanto, não se preocupe; embora as convenções de escrita possam evoluir... de facto, a dosagem da sua cápsula continua a ser a mesma!

As suas perguntas a propósito da sua encomenda

1. Quanto tempo demora até a minha encomenda ser enviada?

Os prazos variam de país para país.

Para uma encomenda “standard”:

País de entrega

Prazo de entrega médio

Alemanha, Bélgica, Finlândia, França, Luxemburgo, Países Baixos, Reino Unido

2 a 6 dias

Áustria, Dinamarca, Espanha, Itália, Portugal, Suíça

4 a 10 dias

DOM-TOM

10 a 15 dias

Outros países

6 a 20 dias


Ser-lhe-á enviado um e-mail com o número da sua encomenda para que possa seguir o seu percurso. As encomendas pagas por cartão bancário são preparadas no mesmo dia quando são registadas antes das 16h (UTC+2) e no dia da recepção do pagamento no caso de este ser feito por cheque ou transferência.

Para as encomendas “expresso”, os prazos são de 1 a 3 dias úteis.

2. Qual é o custo da entrega?

O custo da entrega “standard” depende do montante da sua encomenda e do país de entrega.


Encomendas de montante inferior a 60 €

Encomendas de montante igual ou superior a 60 €

Alemanha, Bélgica, Finlândia, França, Luxemburgo, Países Baixos, Reino Unido, Áustria, Dinamarca, Espanha, Itália, Portugal, Suíça

6 €

Gratuito

DOM-TOM e outros países

15 €

15 €


Pode também optar por uma entrega “expresso” (1 a 3 dias úteis) para um montante de 30 €. Esta opção está disponível unicamente para os países seguintes: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, França, Finlândia, Itália, Luxemburgo, Países Baixos e Reino Unido.

3. Esqueci-me da minha password. Que posso fazer?

Eis o procedimento a seguir para reiniciar a sua password:

Já pode voltar a aceder à sua conta de cliente!

4. Não recebi o produto que tinha encomendado. Que posso fazer?

Se um ou vários produtos não corresponder(em) aos que encomendou, envie-nos uma foto dos produtos recebidos indicando o número da encomenda em questão. Se se confirmar que existiu um erro, enviar-lhe-emos de imediato os produtos que encomendou.

5. Como utilizar um código de desconto?

Aquando da validação da sua encomenda, na etapa intitulada “O meu carrinho”, insira o seu código no espaço “Código promocional”.

Atenção: o código de desconto não é acumulável com as ofertas promocionais em curso no site nem com os descontos por quantidade.

6. Não estou satisfeito(a) com o produto que comprei; gostaria de obter um reembolso. Isso é possível?

A satisfação dos nossos clientes é uma prioridade absoluta. Contudo, caso mude de ideias, pode devolver os artigos da sua encomenda (todos ou apenas alguns) num prazo de 14 dias a contar a partir da data de receção. Apenas serão aceites os produtos ainda selados. Exceto no caso de erro dos nossos serviços, as despesas de envio são da sua responsabilidade. Para mais informações, contacte o nosso serviço a clientes.

Esta é a nossa morada para devoluções:

SuperSmart SA
BP3015
L1030 Luxemburgo
Grão-Ducado do Luxemburgo

7. Porque é que a minha fatura não vem no pacote?

As suas faturas estão todas disponíveis no seu espaço online “A minha conta”, na rubrica “Faturas”. É-lhe enviado um e-mail aquando da edição da fatura em formato PDF. À semelhança de inúmeras outras empresas, decidimos deixar de imprimir e de enviar sistematicamente as faturas por razões ecológicas evidentes.

8. Como é definido o tamanho do meu pacote?

Tudo é feito automaticamente. Uma máquina “embaladora” calcula o tamanho ideal de cada pacote em função do volume e do número de caixas encomendadas. Ao criar um pacote por medida, este sistema permite limitar o consumo de cartão e elimina o recurso a materiais de calçamento. Trata-se de uma solução que respeita o ambiente, que permite otimizar a eficácia dos nossos serviços logísticos e garante, por conseguinte, uma entrega mais rápida.

Pode acontecer que uma má disposição das caixas no tapete rolante perturbe o cálculo da embaladora e dê origem a pacotes mais volumosos do que o necessário. Contudo, estes casos são uma exceção pela qual pedimos as nossas desculpas.

Referências

  1. Burdock GA. Safety assessment of hydroxypropyl methylcellulose as a food ingredient. Food Chem Toxicol. 2007 Dec;45(12):2341-51. Epub 2007 Jul 26.
  2. M. Sherry Ku, and al. « Performance qualification of a New Hypromellose Capsule, Part 1. Comparative Evaluation of Physical, Mechanical and Processability Quality Attributes of Vcaps Plus, Quali-V and Gelatin Capsules ». International Journal of Pharmaceutics, 6 Nov 2009, (epub: 6 Nov 2009), ISSN: 183-3476.
© 1997-2020 Supersmart.com® - Reservados todos os direitos de reprodução
© 1997-2020 Supersmart.com®
Reservados todos os direitos de reprodução
Nortonx
secure
Warning
ok