0
pt
US
WSM
233653875
O seu carrinho está vazio.
Menu

Saúde da próstata – quais os alimentos a evitar e a privilegiar?

Com a idade, a maioria dos homens vê a saúde da próstata degradar-se (originando uma micção difícil, perdas de urina, levantar durante a noite...) Que alimentos deve escolher ou descartar para o ajudar a conservar uma próstata saudável?

Homem sénior a comer alimentos bons para a próstata

A próstata degrada-se com o avanço da idade

Em primeiro lugar, lembramos que a próstata é uma glândula do aparelho reprodutor masculino situada por baixo da bexiga. Serve para segregar e armazenar uma parte do líquido seminal, um fluido essencial para a formação do esperma.

Depois dos 50 anos (embora este fenómeno possa mesmo ocorrer por volta dos 40 anos) a próstata tem frequentemente tendência para aumentar de tamanho. Quando isso acontece, a próstata começa a exercer pressão na bexiga, o que pode provocar vontade de urinar com frequência durante o dia… e durante a noite. Além disso, as transformações da próstata podem levar a uma compressão da uretra, o canal que permite expelir a urina e o esperma. Isto pode originar uma jato urinário mais fraco, uma micção gota a gota ou até perdas de urina (1).

Por outro lado, a próstata pode ser afetada por diversos outros problemas (2-3). Caros senhores, quer estes problemas o afetem ou não, podem agir desde já adaptando a vossa alimentação...

Próstata – os alimentos a evitar

Para o ajudar a manter uma próstata saudável:

  • limite o seu consumo de gorduras (carne vermelha, produtos transformados à base de carne, como salsichas e bacon, manteiga, bolachas, pastelaria folhada, fritos...) Um consumo demasiado elevado de gordura saturada de origem animal, em particular, poderia triplicar o risco de desenvolver determinados problemas da próstata. Por isso, consuma carne vermelha ou charcutaria apenas uma duas vezes por semana, no máximo. Descarte nomeadamente a carne “carbonizada” na grelha;
  • evite as plantas com fitoestrogénios (lúpulo da cerveja, salvas, alcaçuz...) Estas plantas podem ter efeitos estrogénicos nocivos para a próstata;
  • consuma produtos lácteos com moderação (queijo de vaca e de cabra...) O excesso de cálcio poderia, consoante alguns investigadores, fazer subir o risco de desenvolver determinados problemas da próstata;
  • reduza o seu consumo de cereais;
  • beba menos quantidade de chá preto, café, chocolate quente ou bebidas gasosas (as bebidas ditas “diuréticas” levam a um aumento da produção de urina);
  • evite o vinho branco, as bebidas alcoólicas fortes, o champanhe e a cidra (4-6).

Os alimentos a consumir para contribuir para a saúde desta glândula

Pelo contrário, aposte:

  • nos peixes gordos (salmão, anchova, arenque, truta...) O consumo destes peixes gordos, ricos em ómega 3, ajuda a reduzir o risco de desenvolver determinados problemas da próstata;
  • os frutos e legumes (em particular as laranjas, clementinas, limões, romãs, frutos secos não salgados e não grelhados, alcachofras, espargos, brócolos, abacates, pimentos...)
  • nas leguminosas (feijões, lentilhas...);
  • no alho, na cebola, nas sementes de girassol e pevides de abóbora, no óleo de linhaça, na curcumina;
  • nos alimentos ricos em licopeno (tomates, toranja rosa, papaia...)
  • nas águas pouco mineralizadas;
  • no vinho tinto, consumido com moderação como é evidente (um a dois copos por dia). Este tipo de vinho tem flavonóides que contribuem para travar a transformação da testosterona em diidrotestosterona. As catequinas do vinho tinto ajudam igualmente a impedir a transformação da testosterona em estrogénio – uma hormona feminina nefasta para a próstata (7-8).

3 substâncias naturais particularmente benéficas para a próstata

Certas substâncias naturais revelam-se muito interessantes para contribuir para prevenir ou mitigar os problemas da próstata, ou até as respetivas consequências:

  • a palmeira anã (Serenoa repens). É utilizada como adjuvante no tratamento sintomático dos problemas da micção, em caso de aumento do volume da próstata. Contribui, de facto, para assegurar uma função urinária normal nos homens com mais de 45 anos. Está envolvido, nomeadamente, na do débito urinário. Contém, nomeadamente, ácidos gordos livres, flavonóides, fitoesteróis, polissacáridos, alcanos e alcanóis (9-10);
  • a raiz de urtiga-comum (Urtica dioica). Serve adjuvante no tratamento sintomático dos problemas da micção, em caso de aumento do volume da próstata. Esta urtiga dioica ou urtiga-comum contém lectinas, sitosterol, polissacáridos, lignanos e taninos (11-14);
  • a ameixoeira africana (Pygeum africanum). Ajuda a lutar contra os problemas da próstata. Contribui, de facto, para o funcionamento normal da próstata e para manter uma função urinária normal no homem. A sua casca contém beta-sisterol, ácidos gordos , alcanóis lineares... (15-18)

Procura um suplemento alimentar que agrupe estes compostos excelentes? Opte por uma fórmula exclusiva como ProstaNatural Formula, rica em palmeira-anã, em raiz de urtiga e em ameixoeira africana. Este suplemento muito reputado contém também, entre outros, um extrato de pólen de flores, diindolilmetano (DIM) e beta-sitosterol.

Referências

  1. Roehrborn CG. Benign prostatic hyperplasia: an overview. Rev Urol. 2005;7 Suppl 9(Suppl 9):S3-S14.
  2. Leslie SW, Soon-Sutton TL, Sajjad H, et al. Prostate Cancer. [Updated 2020 Oct 28]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-.
  3. Nickel JC. Prostatitis. Can Urol Assoc J. 2011;5(5):306-315. doi:10.5489/cuaj.11211
  4. Devrim E, Durak I. Is garlic a promising food for benign prostatic hyperplasia and prostate cancer? Mol Nutr Food Res. 2007 Nov;51(11):1319-23. doi: 10.1002/mnfr.200600302. PMID: 17918170.
  5. Bravi F, Bosetti C, Dal Maso L, Talamini R, Montella M, Negri E, Ramazzotti V, Franceschi S, La Vecchia C. Food groups and risk of benign prostatic hyperplasia. Urology. 2006 Jan;67(1):73-9. doi: 10.1016/j.urology.2005.07.030. PMID: 16413336.
  6. Trudeau K, Rousseau MC, Parent MÉ. Extent of Food Processing and Risk of Prostate Cancer: The PROtEuS Study in Montreal, Canada. Nutrients. 2020;12(3):637. Published 2020 Feb 28. doi:10.3390/nu12030637
  7. Hodge AM, English DR, McCredie MR, Severi G, Boyle P, Hopper JL, Giles GG. Foods, nutrients and prostate cancer. Cancer Causes Control. 2004 Feb;15(1):11-20. doi: 10.1023/B:CACO.0000016568.25127.10. PMID: 14970730.
  8. Lin PH, Aronson W, Freedland SJ. Nutrition, dietary interventions and prostate cancer: the latest evidence. BMC Med. 2015;13:3. Published 2015 Jan 8. doi:10.1186/s12916-014-0234-y
  9. EFSA Register of Questions - Europa EU
  10. Kwon Y. Use of saw palmetto (Serenoa repens) extract for benign prostatic hyperplasia. Food Sci Biotechnol. 2019;28(6):1599-1606. Published 2019 Apr 17. doi:10.1007/s10068-019-00605-9
  11. EFSA Register of Questions - Europa EU
  12. Moradi HR, Erfani Majd N, Esmaeilzadeh S, Fatemi Tabatabaei SR. The histological and histometrical effects of Urtica dioica extract on rat's prostate hyperplasia. Vet Res Forum. 2015;6(1):23-29.
  13. Lichius JJ, Muth C. The inhibiting effects of Urtica dioica root extracts on experimentally induced prostatic hyperplasia in the mouse. Planta Med. 1997 Aug;63(4):307-10. doi: 10.1055/s-2006-957688. PMID: 9270373.
  14. Ghorbanibirgani A, Khalili A, Zamani L. The efficacy of stinging nettle (urtica dioica) in patients with benign prostatic hyperplasia: a randomized double-blind study in 100 patients. Iran Red Crescent Med J. 2013;15(1):9-10. doi:10.5812/ircmj.2386
  15. EFSA Register of Questions - Europa EU
  16. Ishani A, MacDonald R, Nelson D, Rutks I, Wilt TJ. Pygeum africanum for the treatment of patients with benign prostatic hyperplasia: a systematic review and quantitative meta-analysis. Am J Med. 2000 Dec 1;109(8):654-64. doi: 10.1016/s0002-9343(00)00604-5. PMID: 11099686.
  17. Wilt T, Ishani A, Mac Donald R, Rutks I, Stark G. Pygeum africanum for benign prostatic hyperplasia. Cochrane Database Syst Rev. 2002;1998(1):CD001044. doi:10.1002/14651858.CD001044
  18. Breza J, Dzurny O, Borowka A, Hanus T, Petrik R, Blane G, Chadha-Boreham H. Efficacy and acceptability of tadenan (Pygeum africanum extract) in the treatment of benign prostatic hyperplasia (BPH): a multicentre trial in central Europe. Curr Med Res Opin. 1998;14(3):127-39. doi: 10.1185/03007999809113352. PMID: 9787978.

Partilhe

Comentários

Deve estar ligado à sua conta para poder deixar um comentário

Este artigo ainda não foi recomendado; seja o primeiro a dar a sua opinião

Pagamento seguro
32 anos de experiência
Satisfeito
ou reembolsado;
Envio rápido
Consulta gratuita