0
pt
US
X
× SuperSmart Informar-se por pergunta de saúde Artigos novos Artigos populares Visitar a nossa loja A minha conta Smart Prescription Blog Programa de fidelização Idioma: Português
Digestão e Conforto oro-gastrointestinal Guias e tutorials

Como evacuar os gases intestinais de forma natural?

Uma pessoa normal liberta gases cerca de 14 vezes por dia. Os gases intestinais são produtos normais da digestão, que podem tornar-se problemáticos caso sejam em demasiada quantidade, com mau cheiro ou se originarem inchaço. Como eliminá-los?
Homem sentado, que sofre de flatulência excessiva
Alguns truques podem ajudá-lo a livrar-se da flatulência e do inchaço.
Rédaction Supersmart.
2020-12-15Comentários (0)

De onde vem a flatulência?

Inchaço, sensação de barriga inchada, gases mais ou menos malcheirosos: todos estes sintomas, incómodos, mas sem gravidade, têm origem na digestão. De facto, o sistema digestivo é uma máquina complexa muito performante na qual cada engrenagem (boca, estômago, intestino delgado, cólon) tem uma função que lhe é própria (1):

É durante este última etapa, principalmente, que os gases intestinais se formam dado que, para eliminar estas matérias orgânicas impertinentes, as bactérias do cólon provocam a respetiva fermentação. Esta fermentação produz naturalmente gases que têm, por vezes, mau cheiro: CO2, metano, bissulfureto de hidrogénio.

Estes gases de origem bacteriana representam, em média, 75% do volume de gases intestinais (2). O ar que engolimos enquanto comemos constitui os restantes 25%: é o que se designa aerofagia (3).

Gases intestinais dolorosos: porquê?

Os gases intestinais, que se podem tornar dolorosos, surgem quando uma quantidade demasiado grande de gases fica armazenada no cólon sem poder ser evacuada. Esta acumulação de gases pode verificar-se por várias razões.

Comportamento e postura

O consumo excessivo de bebidas gaseificadas (que contêm não só gás como também açúcares, por vezes pouco digestos) e de pastilhas elásticas (que propicia a aerofagia) foi identificado pelos médicos como uma das causas importantes de inchaço e flatulência excessivos.

A postura sentada é igualmente responsável pela sensação de inchaço; o trabalho de secretária, em que se fica sentado muitas horas antes, durante e depois de comer, comprimindo o abdómen, propicia o inchaço.

Obstipação

As fezes, ou as oclusões, formam uma espécie de rolha que impede a evacuação dos gases intestinais, o que provoca uma pressão excessiva dolorosa no abdómen.

Alimentação

Certos alimentos têm a reputação de ser altamente fermentáveis, embora os cientistas ainda não tenham conseguido identificar com exatidão os polissacáridos responsáveis por este fenómeno (4).

Trata-se, em particular, das crucíferas (da família da couve), das leguminosas (lentilhas, grão-de-bico, ervilhas, soja, etc.) e da carne vermelha. O consumo em grande quantidade de legumes crus pode igualmente propiciar a produção de gases pelo cólon.

As síndromes de intestino irritável (SII ou síndrome do cólon irritável)

“Estima-se que 5 a 10% da população seja afetada pela SII”, explica o instituto nacional de investigação agronómica (5).

Ora, esta síndrome oculta realidades muito diferentes: proliferação bacteriana no intestino delgado, perturbação do microbiota intestinal (que podemos sempre alimentar com “bactérias boas” contidas em probióticos), aumento da permeabilidade da barreira intestinal, infeções intestinais, sensibilidade ao glúten não celíaca, etc. (6)

Flatulência – soluções variadas

Este balanço das causas da flatulência é indispensável para implementar as estratégias certas para as combater. De facto, convém identificar as causas principais e depois aplicar pouco a pouco medidas até encontrar a combinação de remédios que facilitará a evacuação dos seus gases intestinais:

Alterar os seus hábitos

É fácil darmo-nos conta se consumirmos frequentemente e em grandes quantidades alimentos que podem originar flatulência, com mau cheiro ou não. Por isso, a primeira etapa consiste em reduzir ou mesmo excluir pouco a pouco da sua dieta os alimentos potencialmente em causa: bebidas gaseificadas, pastilhas elásticas, carnes vermelhas, ovos, couves, leguminosas, lactose, glúten.

Ao fazê-lo deve adaptar esta estratégia à sua dieta específica; é evidente que um vegetariano dificilmente pode excluir as leguminosas da sua alimentação, a não ser que se foque quase exclusivamente nas algas e frutos de casca rija como fontes de proteínas!

De igual modo, é inútil apostar numa deita sem glúten (particularmente limitadora) sem ter primeiramente excluído os principais alimentos responsáveis pelos seus gases.

Por último, pode ser interessante praticar mais actividade física e/ou optar, no escritório, por cadeiras ergonómicas limitando a prostração do corpo ao fim do dia.

As plantas boas para o conforto digestivo

Utilizadas há milhares de anos na medicina tradicional e em fitoterapia, as plantas constituem boas aliadas para ajudar a reduzir a flatulência.

Para este fim, os remédios das avós preconizam muitas vezes consumir infusões ou tisanas de determinadas plantas (por exemplo a camomila).

A hortelã-pimenta, por seu lado, é bem conhecida por propiciar o funcionamento correto do tubo digestivo e por ajudar a eliminar os incómodos digestivos (7). O fenacho, por seu lado, contribui igualmente para o conforto digestivo (8).

Para beneficiar de um excelente aporte em hortelã-pimenta e em fenacho (entre outros compostos interessantes), pode optar pelo excelente suplemento alimentar Digestive Enzymes.

O carvão ativado – um remédio natural reconhecido

O carvão ativado é um remédio natural reconhecido pelas autoridades europeias de saúde e pelos médicos por contribuir para reduzir o excesso de flatulência após as refeições (9).

Já preconizado por Hipócrates na Antiguidade para purificar a água e totalmente natural, o carvão ativado é extraído da casca de coco ou de certas madeiras transformadas em carvão, que é depois ativado para propiciar a sua porosidade e, por conseguinte, o respetivo efeito no intestino. Na verdade, quando chega ao intestino, o carvão ativado (também designado carvão vegetal ativado) capta, à superfície, as moléculas de gás ou de líquidos que o circundam; diz-se que ele é “adsorvente”. Ora, o carvão vegetal ativado consegue reter até 100 vezes o seu volume em gases intestinais! Pode optar, por exemplo, por Charcoal, um excelente suplemento de carvão ativado.

Contudo, atenção: como o carvão se mantém no organismo e não faz discriminação, pode também “adsorver” determinados medicamentos. Por isso, caso esteja a seguir um tratamento, é importante consultar um médico antes de começar a tomar um suplemento de carvão ativado.

Agora já dispõe de todas as dicas para evacuar os gases intestinais de forma natural.

Referências

  1. https://www.vidal.fr/sante/nutrition/corps-aliments/digestion-aliments.html
  2. Sven Kurbel, Beatrica Kurbel, Aleksandar Včev, Intestinal gases and flatulence: Possible causes of occurrence, Medical Hypotheses, Volume 67, Issue 2, 2006, Pages 235-239, ISSN 0306-9877, https://doi.org/10.1016/j.mehy.2006.01.057
  3. https://www.vidal.fr/maladies/estomac-intestins/ballonnement-flatulence-aerophagie.html
  4. Price, K.R., Lewis, J., Wyatt, G.M. and Fenwick, G.R. (1988), Review article Flatulence — Causes, relation to diet and remedies. Nahrung, 32: 609-626. https://doi.org/10.1002/food.19880320626
  5. https://www.inrae.fr/actualites/syndrome-lintestin-irritable-nouveau-mecanisme-expliquant-douleur-abdominale
  6. Echinard Flore, « Microbiote et troubles fonctionnels de l’intestin », Hegel, 2016/4 (N° 4), p. 436-439. DOI : 10.3917/heg.064.0436. URL : https://www.cairn.info/revue-hegel-2016-4-page-436.htm
  7. EFSA Register of Questions - Europa EU
  8. EFSA Register of Questions - Europa EU
  9. Jain, N. K.; Patel, V. P.; Pitchumoni, C. S., Efficacy of Activated Charcoal in Reducing Intestinal Gas: A Double--Blind Clinical Trial, American Journal of Gastroenterology (Springer Nature) . Jul1986, Vol. 81 Issue 7, p532-535. 4p. 2 Charts, 2 Graphs.
Se gostou, partilhe Pinterest

Comentários

Deve estar ligado à sua conta para poder deixar um comentário
Este artigo ainda não foi recomendado; seja o primeiro a dar a sua opinião
A nossa seleção de artigos
Mulher sentada que sofre de refluxo gástrico com subidas de gases ácidos
5 bons conselhos para atenuar o refluxo gástrico de forma natural

O refluxo gastroesofágico (RGO) é um problema relativamente comum, acentuado pelo consumo de determinados alimentos ou pelo aumento de peso. Eis alguns conselhos para o atenuar ou até para o eliminar.

Ananás rico em bromelaína recortado sobre fundo azul
Os benefícios da bromelaína, uma excelente enzima extraída do ananás

Extraída do ananás, a bromelaína é um complexo enzimático vegetal a não perder. Descubra os nossos conselhos para tirar o melhor partido dos seus benefícios.

Sementes de psílio dourado com colher de pau
Conforto intestinal - os múltiplos benefícios do psílio

A semente de psílio é reputada por ter efeitos benéficos nos intestinos, tanto em caso de obstipação como de diarreia. Siga os nossos conselhos para tirar o melhor partido do psílio dourado ou castanho.

Mulher com dores intestinais de tipo SII ou SIBO
SII, SIBO, MICI... Compreender os problemas crónicos do intestino

Intestino irritável, SIBO, doença de Crohn, etc. Imensas pessoas sofrem regularmente de problemas intestinais. Quais são os sintomas e as causas destes problemas crónicos do aparelho digestivo? E quais as soluções para eles?

fotografia de uma tisana para a digestão
As 5 melhores plantas para propiciar a digestão

A fitoterapia pode ajudá-lo(a) a ter uma melhor digestão – vejamos cinco plantas das mais eficazes, os respetivos benefícios e como as consumir.

Fotografia de uma pessoa à procura de algo no frigorífico
Os probióticos devem ser conservados no frigorífico? Sim ou não?

São cada vez mais os clientes que nos fazem esta pergunta. Os probióticos devem ser conservados no frigorífico para sobreviver? E, se sim, o envio desses mesmos probióticos por via postal pode ser fatal para eles?

Estes produtos devem interessar-lhe

Probio Forte™Probio Forte™

Potente mistura de probióticos; 8 mil milhões de microrganismos por cápsula Em DR Caps™ gastro-resistentes para uma eficácia ideal

29.00 €(34.93 US$)
+
H. Pylori Fight  200 mgH. Pylori Fight 200 mg

O tratamento natural contra Helicobacter pylori

28.00 €(33.73 US$)
+
Digestive EnzymesDigestive Enzymes

Fórmula digestiva superpotente com espectro exaustivo. Agora em DR caps™ gastro-resistentes.

30.00 €(36.14 US$)
+
Anti-Acid Reflux FormulaAnti-Acid Reflux Formula

A combinação natural incontornável contra o refluxo

35.00 €(42.16 US$)
+
Lactobacillus rhamnosus GGLactobacillus rhamnosus GG

Contribui naturalmente para a manutenção da flora intestinal e da flora vaginal.

23.00 €(27.70 US$)
+
-70%
FlavoFight 250 mg FlavoFight 250 mg

Flavobióticos para melhorar a flora e a imunidade intestinais

10.20 €34.00 €(12.29 US$)
+
Zinc L-carnosine 37,5 mgZinc L-carnosine 37,5 mg

Complexo patenteado zinco-carnosina, protege o estômago da vários tipos de agressões.

25.00 €(30.11 US$)
+
Mastic Gum 500 mgMastic Gum 500 mg

Alivia as dores de estômago e ajuda a controlar a H.Pylori

32.00 €(38.54 US$)
+
© 1997-2021 Supersmart.com® - Reservados todos os direitos de reprodução
© 1997-2021 Supersmart.com®
Reservados todos os direitos de reprodução
Nortonx
secure
Warning
ok