0
pt
US
WSM
232198737
O seu carrinho está vazio.
Menu

Como utilizar o alho para baixar a tensão?

O alho é um remédio eficaz para lutar contra a hipertensão arterial, responsável pelas doenças cardíacas. Descubra neste artigo como utilizar o alho para baixar a tensão de forma natural.

Alho hipotensor

O alho – um remédio natural para muitos males

Utilizado há vários milénios em inúmeras civilizações da bacia mediterrânica, tanto na culinária como na qualidade de remédio natural na medicina tradicional, o alho é um condimento com muitas virtudes (1).

Além da sua riqueza em manganésio, em vitamina B6, em fósforo, em ferro, em cobre, em selénio e em vitamina C, o alho contém sobretudo vários princípios ativos que fazem dele um remédio natural para inúmeros males (2).

É em particular a sua riqueza em compostos organo-sulfurados que comporta os benefícios desta planta. Em particular, a S-alil-cisteína, o composto mais estudado pelos investigadores. O alho contém igualmente aliina, que se transforma em alicina em contacto com uma enzima quando o dente de alho é triturado, esmagado ou cortado. É esta molécula que confere o odor particular ao condimento.

É também esta molécula que sofre novas transformações para produzir outros compostos organo-sulfurados tais como o sulfureto de dialilo, o dissulfureto de dialilo e o ajoeno. É o conjunto destes compostos (inclusive a S-alil-cisteína) que permitem ao alho (3-6):

  • contribuir para a saúde do coração e do sistema cardiovascular;
  • manter um nível normal de colesterol;
  • ter propriedades antioxidantes;
  • contribuir para o funcionamento normal do sistema imunitário.

Este condimento tradicional contém igualmente saponinas que contribuem de igual modo para os seus benefícios hipocolesterolemiantes bem como para os respetivos efeitos protetores no sistema cardiovascular. A planta parece também conter proteínas específicas com efeitos cardioprotetores.

O alho para a hipertensão

Os mecanismos que permitem ao alho ter efeitos hipotensores são ainda mal conhecidos. Provavelmente, terá um efeito vasodilatador que ajuda a relaxar e a alargar os vasos sanguíneos, e um efeito antioxidante que ajuda a proteger os vasos sanguíneos do stress oxidativo.

Vários estudos compararam os efeitos deste condimento aos de um placebo em pacientes que sofrem de hipertensão arterial (7-9).

Os resultados são claros: “a toma de um suplemento com extratos de alho poderia representar uma alternativa aos medicamentos ou constituir um tratamento complementar eficaz contra a hipertensão”, concluem os autores de um estudo australiano.

Alho cru ou alho cozinhado para baixar a tensão?

Se comer alho cru parece ser mais eficaz para baixar a tensão arterial, é igualmente possível consumi-lo cozinhado para tirar partido dos respetivos benefícios.

De facto, embora a aliina seja destruída pela cozedura, os seus derivados – o sulfureto de dialilo, o dissulfureto de dialilo e o ajoeno – resistem ao processo de cozedura e à desidratação.

Para usufruir dos benefícios do alho branco e baixar a tensão arterial de forma natural, é – por conseguinte – possível consumi-lo cru, cozinhado, desidratado, marinado em azeite, em infusões ou em extratos de alho, etc.

O alho negro – os benefícios do alho maximizados!

Obtido por um processo de fermentação específico, o alho negro tem uma composição ainda mais rica do que a sua versão “original”. O alho negro é, assim, consideravelmente mais rico em S-alil-cisteína, o que maximiza os seus benefícios (10).

O consumo de alho envelhecido é portanto ainda mais interessante para fazer baixar a tensão naturalmente do que o consumo de alho cru ou cozinhado.

Cura com alho negro – durante quanto tempo?

A única contraindicação relativa à utilização de alho negro reside em evitar consumi-lo antes ou após uma operação cirúrgica, devido aos seus potenciais efeitos anticoagulantes.

Excetuando esta recomendação simples, é possível seguir todo o ano uma cura de alho negro (como Organic ABG10+®, um suplemento alimentar bio normalizado a 0,1% de S-alil-cisteína), como complemento de uma alimentação adequada para fazer baixar a tensão e de atividade física regular.

Tisanas para fazer baixar a tensão naturalmente?

Existem igualmente muitos outros remédios naturais para fazer baixar a tensão de forma natural. Tisanas para fazer baixar a tensão ou ainda sumos para fazer baixar a tensão constituem assim excelentes soluções.

Todavia, quer se trate do alho ou do aipo – igualmente reconhecido pelos seus efeitos hipotensores – o sabor forte destas plantas pode desencorajar algumas pessoas. É por esta razão que muitas pessoas optam por tomar suplementos em cápsulas, com quantidades de princípios ativos geralmente normalizadas, para tirar partido dos respetivos benefícios.

A dieta DASH para fazer baixar a tensão arterial

Além da toma de um suplemento alimentar, é possível adotar uma dieta alimentar DASH (Dietary Approaches to Stopping Hypertension) para uma melhor regulação da sua tensão arterial (11).

Desenvolvida no final da década de 1990 na sequência de dois estudos de grande abrangência, a dieta DASH consiste em:

  • reduzir o consumo de sal;
  • privilegiar o consumo das gorduras “boas” (ácidos gordos ómega 3, nomeadamente);
  • reduzir o consumo de álcool e o tabagismo;
  • perder peso (o excesso de peso é um dos fatores da hipertensão);
  • praticar uma atividade física regular;
  • consumir frutas e legumes frescos em quantidades significativas;
  • consumir cereais integrais e leguminosas;
  • privilegiar as carnes magras e o peixe;
  • privilegiar o consumo de sementes e nozes, amêndoas, etc.

Salientamos também que alguns estudos demonstraram que os alimentos ricos em potássio permitem igualmente fazer baixar a tensão naturalmente; cacau, banana, batata-doce, alcachofra, abacate, etc. constituem excelentes fontes de potássio. Bons hábitos alimentares a adotar!

O CONSELHO SUPERSMART

Referências

  1. TESFAYE, Azene et MENGESHA, Worku. Traditional uses, phytochemistry and pharmacological properties of garlic (Allium Sativum) and its biological active compounds.  J. Sci. Res. Eng. Technol, 2015, vol. 1, p. 142-148.
  2. LAWSON, Larry D. et GARDNER, Christopher D. Composition, stability, and bioavailability of garlic products used in a clinical trial. Journal of agricultural and food chemistry, 2005, vol. 53, no 16, p. 6254-6261.
  3. CERELLA, Claudia, DICATO, Mario, JACOB, Claus, et al.Chemical properties and mechanisms determining the anti-cancer action of garlic-derived organic sulfur compounds. Anti-Cancer Agents in Medicinal Chemistry (Formerly Current Medicinal Chemistry-Anti-Cancer Agents), 2011, vol. 11, no 3, p. 267-271.
  4. ARIGA, Toyohiko et SEKI, Taiichiro. Antithrombotic and anticancer effects of garlic‐derived sulfur compounds: A review. Biofactors, 2006, vol. 26, no 2, p. 93-103.
  5. LEE, Da Yeon, LI, Hua, LIM, Hyo Jin, et al.Anti-inflammatory activity of sulfur-containing compounds from garlic. Journal of medicinal food, 2012, vol. 15, no 11, p. 992-999.
  6. KIM, Sun Min, KUBOTA, Kikue, et KOBAYASHI, Akio. Antioxidative activity of sulfur-containing flavor compounds in garlic. Bioscience, biotechnology, and biochemistry, 1997, vol. 61, no 9, p. 1482-1485.
  7. RIED, Karin, FRANK, Oliver R., et STOCKS, Nigel P. Aged garlic extract lowers blood pressure in patients with treated but uncontrolled hypertension: a randomised controlled trial. Maturitas, 2010, vol. 67, no 2, p. 144-150.
  8. RIED, K., FRANK, O. R., et STOCKS, N. P. Aged garlic extract reduces blood pressure in hypertensives: a dose–response trial. European Journal of Clinical Nutrition, 2013, vol. 67, no 1, p. 64-70.
  9. RIED, Karin. Garlic lowers blood pressure in hypertensive individuals, regulates serum cholesterol, and stimulates immunity: an updated meta-analysis and review. The Journal of nutrition, 2016, vol. 146, no 2, p. 389S-396S.
  10. CHOI, Duk-Ju, LEE, Soo-Jung, KANG, Min-Jung, et al.Physicochemical characteristics of black garlic (Allium sativum L.). Journal of the Korean Society of Food Science and Nutrition, 2008, vol. 37, no 4, p. 465-471.
  11. KWAN, Mandy Wing-Man, WONG, Martin Chi-Sang, WANG, Harry Hao-Xiang, et al.Compliance with the Dietary Approaches to Stop Hypertension (DASH) diet: a systematic review. Plos one, 2013, vol. 8, no 10, p. e78412.

Partilhe

Comentários

Deve estar ligado à sua conta para poder deixar um comentário

Este artigo ainda não foi recomendado; seja o primeiro a dar a sua opinião

Pagamento seguro
32 anos de experiência
Satisfeito
ou reembolsado;
Envio rápido
Consulta gratuita